O histórico estádio de São Januário tem uma particularidade que o difere dos demais grandes palcos do futebol brasileiro. Casa do Vasco da Gama [VIDEO], ele é o único cujo os bancos de reservas ficam atrás de um dos gols, fato que irritava muitos técnicos, inclusive do próprio time. Mas no que depender da nova resolução da CBF, essa tradição está com os dias contados, fato que deixou os torcedores bastante irritados.

De acordo com a nova norma da entidade que rege o futebol no Brasil, a partir de 2019, todos os estádios deverão ter seu banco de reservas na lateral do campo, próximo ao centro. Isso significa que o time cruz-maltino terá que por fim a uma tradição que também é cercada de superstições.

A única vez que os bancos deixaram o controverso local foi em 2004, quando o então técnico Geninho solicitou ao presidente Eurico Miranda que eles fossem para o meio do campo. Na época ele justificou o pedido alegando que os treinadores ficam perdidos, sem noção de distância e profundidade. Porém logo no primeiro jogo, o time carioca perdeu por 3 a 0 para o desconhecido XV de Campo Bom, resultado que causou a eliminação da equipe na Copa do Brasil daquele ano. Depois disso, os bancos voltaram para o local de origem.

Se os mais tradicionalistas torcedores vascaínos irão se aborrecer com a imposição, os técnicos adversários ficarão satisfeitos. Nos últimos anos, o local que lhes é destinado para dirigirem suas equipes, foi alvo de muitas críticas dos treinadores.

Um dos maiores críticos foi Paulo Autuori, que em 2013 não escondeu o descontentamento de atuar no local e não aceitou a justificativa de superstição e tradição para mantê-los no local.

Os melhores vídeos do dia

Quem também se irritou foi Abel Braga, que lembrou as dificuldades de comunicação com os jogadores. “Você manda a mensagem, mas parece que o negócio não chega", esbravejou o atual técnico do Fluminense.

Problemas à vista

Se a questão dos bancos de reserva é ainda para 2019, um problema bem mais próximo é motivo de dor cabeça para o técnico Zé Ricardo. O goleiro Martín Silva foi cortado da seleção do Uruguai dos dois últimos jogos da Celeste para as Eliminatórias da próxima Copa do Mundo. O jogador sofreu uma lombalgia e já iniciou tratamento intensivo. O Vasco volta a jogar pelo Campeonato Brasileiro no próximo dia 11, quando irá até Florianópolis encarar a equipe do Avaí. A expectativa é que para este jogo o goleiro já esteja em condição de atuar.