Assim que saída de Cuca [VIDEO] foi oficializada, Alberto Valentim assumiu o comando do time pela quinta vez desde que chegou ao Palmeiras em 2014. Se mantido até o fim do Campeonato Brasileiro, o atual interino irá alcançar a sua maior série no comando da equipe principal.

A primeira oportunidade como treinador no Palmeiras aconteceu após a demissão de Gilson Kleina, em maio do mesmo ano. Na ocasião, Valentim dirigiu o time em sete partidas, seu recorde até o momento. Após isso, ele treinou o Palmeiras de forma interina em setembro, quando o argentino Ricardo Gareca foi dispensado e em 2015 e 2016, após as dispensas de Oswaldo de Oliveira e Marcelo Oliveira, respectivamente.

No comando do Palmeiras, Valentim tem um total de 13 partidas (já somadas os três jogos do Brasileirão 2017) e acumula nove vitórias, um empate e três derrotas, com 65% de aproveitamento. No fim de 2016, logo depois da conquista do título brasileiro e a confirmação da saída de Cuca, Valentim chegou a ser considerado a melhor escolha para comandar o Palmeiras, mas o presidente recém-eleito, Mauricio Galliote, preferiu apostar em Eduardo Baptista.

Então, Valentim deixou o Palmeiras e foi comandar o Red Bull Brasil no campeonato paulista e realizar dois estágios na Itália, antes de retornar ao Palmeiras a pedido de Cuca.

Com a confirmação da renovação de Mano Menezes com o Cruzeiro, o nome de Valentim tem recebido cada vez mais apoio no clube.

As principais lideranças do atual elenco, como Dudu, Moisés, Edu Dracena e Fernando Prass, já demonstraram apoio ao trabalho de Alberto com declarações enaltecendo as qualidades, reforçando a sua capacidade como comandante.

Alguns, inclusive, deixaram claro que se forem questionados pela diretoria, dirão que querem Valentim como treinador efetivo.

O apoio das arquibancadas também conta a favor de Valentim. A maioria da torcida se mostra favorável a sua manutenção no comando do Palmeiras na próxima temporada [VIDEO], que será muito mais difícil do que a de 2017 por contas dos insucessos e da maior cobrança que a equipe sofrerá em busca de títulos.

Outro cenário favorável é a falta de grandes nomes no mercado. Treinadores que poderiam fazer sombra a Valentim estão na sua maioria empregados ou, então, não gozam de tanto prestígio no momento, como Vanderlei Luxemburgo, ex-treinador do Sport, e Felipão, que acaba de anunciar que não permanecerá no futebol chinês.

Mesmo assim, a diretoria não parece muito disposta em fazer uma nova aposta. Mas, o sucesso do rival Corinthians, que apostou em Fábio Carille, que hoje está próximo do segundo titulo da temporada e com um investimento muito inferior ao do atual Palmeiras, pode ajudar a mudar os planos de Alexandre Mattos e Galliote.

A oportunidade está nas mãos de Valentim, que, se fizer um bom trabalho nessa reta final de brasileiro e garantir a vaga direta para a próxima Libertadores, pode, enfim, realizar seu grande objetivo de ser treinador do Palmeiras.