O Palmeiras [VIDEO] ainda tem jogos para disputar pelo Campeonato Brasileiro e luta diretamente por uma vaga na Copa Libertadores da América. O título da competição, que no caso seria o segundo seguido, ficou bem distante com a derrota diante do Santos, no Allianz Parque. O gol de Ricardo Oliveira fez o clube mudar a direção.

Maurício Galiotte, presidente do clube e que está terminando o primeiro ano da gestão, conta com o técnico Cuca para 2018. O treinador está participando de forma ativa da montagem do elenco para a próxima temporada. Foi o treinador aliás que colocou o nome de três atletas na lista de dispensa: o lateral-esquerdo Egídio, o volante Arouca e o zagueiro Antônio Carlos.

Depois que perdeu o pênalti decisivo contra o Barcelona-EQU, Egídio não tem mais clima para jogar no Palmeiras. Apesar de ter marcado o gol da vitória contra o Fluminense fora de casa, pelo Brasileiro, o jogador enfrenta forte resistência para seguir com a camisa palmeirense.

O volante Arouca está se recuperando de lesão. Uma grave, inclusive. O jogador teve que ter parte do tornozelo reconstruído e se complicou bastante na recuperação. Pronto para voltar, Arouca não interessa mais ao clube alviverde e deve ser emprestado para jogar em 2018.

O zagueiro Antônio Carlos, que veio da Ponte Preta, vai ser penalizado justamente por conta do excesso de atletas no elenco. Sem oportunidades reais, o atleta será devolvido para o time campineiro, e o Palmeiras não exercerá poder de compra.

Mattos de saída?

O portal UOL Esporte divulgou nesta segunda-feira que o executivo de Futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, recebeu sondagem do Cruzeiro.

Itair Machado, novo responsável e homem forte do futebol cruzeirense, sonha em contar com Mattos de volta.

Sabendo da dificuldade do negócio, Machado tem outro nome para caso não consiga fechar com Mattos: Marcelo Dijian, ex-atleta do time mineiro. As conversas ainda estão no início.

Permanência assegurada

Pelo menos por enquanto, Galiotte conta com Mattos no comando da diretoria executiva do futebol. A Crefisa e a FAM, patrocinadoras do clube paulista, também insistem em mantê-lo. Aliás, em entrevista recente, Leila Pereira, presidente do grupo, disse que se Mattos deixar o Palmeiras um dia, o contrato de patrocínio poderia ser repensado. Além de patrocinar o clube, Pereira tornou-se conselheira após votação com diversos 'poréns'. Paulo Nobre, ex-presidente, tentou impugnar a sua candidatura.