O Palmeiras [VIDEO] demitiu o técnico Cuca do comando do #Futebol. Em comum acordo, o treinador aceitou deixar o Alviverde depois de pedir demissão por três vezes e ser contido pela diretoria. A pressão em cima dele estava muito grande, principalmente após a eliminação na Copa Libertadores [VIDEO] da América para o Barcelona do Equador que, na fase seguinte, também eliminou o Santos.

O fato irritou profundamente a cúpula palmeirense, que ainda tentou segurar o treinador. Mas a eliminação pesou, principalmente pelos investimentos confirmados na equipe: mais de R$ 100 milhões. Só Miguel Borja, por exemplo, 'comeu' R$ 35 milhões desse investimento e não conseguiu mostrar seu futebol.

Diretores e conselheiros entendem que a culpa foi de Cuca, já que não colocou para jogar e não soube preparar o jogador.

O interino Alberto Valentim assumiu e levou o time para vencer o Atlético Goianiense. Fora de casa, o Verdão marcou três gols e levou um, saindo com três pontos na mala. Três pontos de fato importantíssimos e que vão ajudar muito na classificação.

Valentim sempre foi bastante elogiado, mas nunca recebeu uma oportunidade de verdade. Em janeiro deixou o #Palmeiras para comandar o Red Bull Brasil pelo Campeonato Paulista, mas não teve sucesso. Voltou para o Alviverde com o sonho de um dia substituir treinador e se tornar efetivo. E a oportunidade chegou, e ele já conquistou uma parte do sucesso. O problema é uma ala conservadora do Palmeiras que quer um técnico de renome.

E o nome é Mano Menezes.

Palavra da diretoria

Em contato rápido com a reportagem da Gazeta Esportiva, Alexandre Mattos, executivo de futebol, garantiu que o Palmeiras tem interesse em Mano, mas só se ele não renovar com o Cruzeiro. Essa postura de Mattos não é nova, mas o conhecimento dele no meio do futebol permite contatos externos e conversas paralelas. Ou seja, o Verdão conversa com Mano, mas também tem outra carta na manga.

Segundo o site da Fox Sports, Jair Ventura, do Botafogo-RJ, também aparece como uma possibilidade. Remota, é verdade. Mas é uma possibilidade. Conselheiros mais de reta-guarda do Palmeiras querem mesmo o técnico do Cruzeiro. Eles acreditam que Mano sabe controlar melhor os vestiários e sabe escalar melhor. Outra parte reclama da possibilidade de Mano jogar mais retrancado, com jogo feio, fechado e sem espetáculo. O que mais importa são títulos, mas em um time de R$ 100 milhões a expectativa por um bom futebol cresce circunstancialmente. #Mercado da bola