O grito da garganta dos colorados está perto de ser solto: falta pouco para o clube garantir o acesso à Série A e voltar para o local do tamanho de sua grandeza. Bicampeão continental, tricampeão brasileiro e campeão mundial, o Inter enfrentou o gosto amargo do inédito rebaixamento durante o Campeonato Brasileiro do ano passado, e agora já mira o retorno à primeira divisão em 2018.

Neste sábado, o time comandado pelo técnico Guto Ferreira venceu por 3x2 o Criciúma, no estádio Heriberto Hülse, em Santa Catarina, e se isolou ainda mais na liderança com 61 pontos. Faltando oito jogos para o término do certame, o clube poderá garantir matematicamente a vaga nas próximas duas rodadas, dependendo de resultados paralelos.

Existe a chance de o Inter [VIDEO] firmar o acesso se vencer o Ceará e o CRB, que são os dois próximos adversários dentro do estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Guto Ferreira, que assumiu o Inter no lugar de Antônio Carlos Zago ainda no início da Série B, prega cautela e busca evitar a euforia nesse momento final para alcançar o objetivo. Na coletiva deste sábado em Santa Catarina, por exemplo, ele evitou dizer que já está pensando e fazendo testes para a temporada de 2018.

"Primeiro que não estamos pensando em 2018. Estamos pensando em 2017 ainda, porque faltam jogos e pontos para que a gente consiga concretizar o nosso objetivo de voltar à Série A. Vamos agora nos preparar para enfrentar o Ceará, que vem muito bem com um trabalho importante do Marcelo Chamusca, e esperamos o Beira-Rio lotado para mais um resultado positivo", projetou.

Os melhores vídeos do dia

Emoção de Guto e jogo de altos e baixos

Vale lembrar que a Série B não foi durante o tempo todo esse sinônimo de "expectativa" que é hoje para o Inter. Ainda no início do primeiro turno, o clube chegou a estacionar no meio da tabela com tropeços consecutivos, alguns deles dentro do Beira-Rio, e sofreu uma fortíssima pressão dos torcedores. Em mais de um jogo, houve quebra-quebra nos arredores do estádio por conta de resultados ruins.

Guto não apenas sobreviveu ao momento delicado como recuperou o time, ajudou na retomada da liderança e deve se garantir como o treinador da equipe na temporada de 2018, que deve marcar o retorno à primeira divisão brasileira. Neste sábado, quando se preparava para dar a coletiva de imprensa, o técnico foi ovacionado pelos colorados presentes no estádio do Criciúma e admitiu que se emocionou bastante.

"Mexeu, mexeu comigo sim. Até por toda a história que eu tenho aqui dentro, mexe sim. Recebi com muita alegria e satisfação, mas sem empolgação, porque temos que seguir trabalhando para concluir o nosso objetivo.

Acho que também foi um reconhecimento daquilo que a equipe vem fazendo em campo", comentou.

Após uma partida "horrorosa", no termo utilizado pelo capitão Andrés D'Alessandro, na terça-feira contra o Boa Esporte - empata em 0x0 em Minas Gerais -, o Inter voltou a viver bons momentos contra o Criciúma e chegou a abrir 2x0 no primeiro tempo mostrando bom futebol. Eduardo Sasha e Victor Cuesta foram às redes do Tigre.

Mas o que parecia fácil se tornou difícil e o time catarinense buscou o empate no segundo tempo. Quando até era melhor no jogo e ameaçava virar, o Tigre sofreu o golpe final no gol do atacante colorado Carlos, que entrou na reta final do jogo e marcou o gol salvador a partir de um lindo lançamento do meia Camilo.

Com os três pontos deste sábado, o Inter se aproxima de trilhar o mesmo caminho feito por equipes do porte do Corinthians, Grêmio, Palmeiras e Atlético-MG, que caíram, deram um susto no seu torcedor, mas mostraram que estavam apenas de passagem pela Série B. A primeira divisão já está no horizonte dos colorados.