A Argentina teve uma ótima oportunidade nesta quinta-feira para dar um passo decisivo rumo à Copa do Mundo de 2018, mas voltou a decepcionar os seus torcedores e ampliou a desconfiança com relação à vaga no próximo mundial. Mais uma vez sem apresentar um grande futebol, os hermanos ficaram no 0x0 em casa contra o Peru e agora precisam vencer o Equador - já eliminado - fora de casa, na próxima terça-feira, para garantir no mínimo a repescagem contra a Nova Zelândia.

Ciente da necessidade da vitória sobre os peruanos, que passaram a ser rivais diretos na briga por uma vaga, a Argentina fez tudo o que foi possível no extracampo para garantir os três pontos.

Uma das principais medidas adotadas foi tirar o jogo do Monumental de Nuñez e levar para a mística La Bombonera - tradicional campo do Boca Jrs. A ideia era ter o torcedor mais próximo do campo e tentar intimidar a seleção do Peru, mas na prática nada disso funcionou.

O tropeço deixou a Argentina na sexta colocação, isto é, fora da faixa de classificação à Copa da Rússia faltando apenas uma rodada das Eliminatórias, que vai ser toda ela disputada na próxima terça-feira. Com 25 pontos, a seleção treinada por Jorge Sampaoli garante, no mínimo, o 5° lugar se vencer o Equador fora de casa - vale lembrar que os equatorianos já não têm mais chances de jogarem a Copa.

Para entrar entre os quatro primeiros e não ter a necessidade de jogar a repescagem, que seria contra a Nova Zelândia, os argentinos não apenas precisam vencer o Equador como torcer por resultados paralelos.

Um dos resultados indispensáveis para a Argentina na última rodada seria um empate entre Peru (5° com 25) contra a Colômbia (4° com 26).

O outro resultado que beneficia a seleção de Messi depende, ironicamente, do Brasil. Já classificada e absoluta na liderança com 38 pontos, a seleção brasileira fecha a participação nas eliminatórias na próxima terça, em São Paulo, contra o Chile, que ainda não está garantido no mundial. Os chilenos estão no 3° lugar com 26 pontos, no meio da verdadeira confusão que se tornou a tabela após os resultados da penúltima rodada.

Antes desacreditado, o próprio Paraguai passou a ter chances na última rodada. Depois de vencerem a Colômbia por 2x1 fora de casa, os paraguaios chegaram aos 24 pontos e podem beliscar uma das cinco vagas se ganharem da já eliminada Venezuela em casa na rodada final. Apenas Brasil [VIDEO] e Uruguai, 2° com 28, estão tranquilos e já de olho na Rússia em 2018.

Filme repetido: Messi tenta, mas sozinho não resolve

Contra o Peru, a Argentina foi "mais do mesmo" nessas eliminatórias.

O astro do Barcelona mais uma vez foi o grande personagem da seleção e tentou deixar os companheiros na cara do gol, mas o arqueiro peruano Gallese viveu uma jornada inspirada com no mínimo quatro defesas decisivas. Já na reta final do jogo, Messi [VIDEO] teve uma oportunidade em cobrança de falta perto da área, mas carimbou a barreira.

No final das contas, os argentinos até tiveram que agradecer o placar de 0x0. Antes do apito final do juiz brasileiro Wilton Sampaio, o Peru teve uma boa oportunidade em uma falta na entrada esquerda da grande área. Paolo Guerrero, centroavante do Flamengo, que tem se aperfeiçoado nessas cobranças, caprichou e mirou o ângulo, mas Romero estava esperto e tirou para escanteio.

Sem vencer há quatro jogos no certame, a Argentina joga suas últimas fichas contra o Equador, já eliminado, em Quito, na terça-feira. Se voltar a fracassar, o futebol mundial deverá ter uma Copa sem um dos melhores jogadores da história.

Classificação antes da última rodada:

1° - Brasil - 38

2° - Uruguai - 28

3° - Chile - 26

4° - Colômbia - 26

5° - Peru - 25

6° - Argentina - 25

7° - Paraguai - 24