O goleiro italiano, Gianluigi #Buffon, anunciou a sua #aposentadoria da seleção após o empate (0 a 0) contra a Suécia, nesta segunda-feira (13). O resultado deixou a #Itália fora da Copa do Mundo na Rússia, em 2018. O jogador, com 39 anos, já tinha participado cinco vezes de copas, de maneira consecutiva. A última vez que a Itália não participou da competição foi em 1958, ano em que o Brasil [VIDEO] se tornava pela primeira vez campeã mundial de futebol, tendo como adversária também a seleção sueca.

Buffon é o atleta mais convocado na história do futebol italiano, participou de 175 partidas, superando jogadores notáveis como Maldini e Cannavaro, que acumularam 126 e 136 convocações, respectivamente.

O goleiro, que também era capitão da equipe, deixa a Azzurra (apelido da Seleção Italiana) em um momento de tristeza, mas já viveu eventos especiais ao longo da carreira pela seleção nacional. Entre as suas conquistas, a principal aconteceu em 2006, na França, quando foi campeão mundial. Na oportunidade, a Itália era campeã pela quarta vez.

Carreira de sucesso

O Gigi, como é conhecido pela torcida da Juventus, joga pela seleção desde 1997, quando foi convocado pela primeira vez. Em 20 anos de participação, Buffon [VIDEO] se tornou titular absoluto e capitão, jogou as copas de 1998, 2002, 2006, 2010 e 2014, o objetivo era participar novamente no ano que vem. Decepcionado com a eliminação, o italiano afirmou em entrevista após o jogo: "É difícil terminar assim. Nos levantaremos como sempre fizemos.

Eu deixo um abraço para todos, especialmente para os que compartilharam esse tempo comigo. Não sinto muito por mim, mas por todo o futebol italiano. Nós falhamos"

Na internet, alguns jogadores como o francês Franck Ribéry, do Bayern de Munique, postou uma mensagem no Twitter sobre a trajetória do goleiro: "Um oponente resistente, grande personagem e ídolo para cada jogador. Respeito pela sua carreira internacional".

A eliminação da Itália também marcou a aposentadoria de outros dois jogadores pela seleção tetracampeã [VIDEO], o meia De Rossi, da Roma, e o zagueiro Barzagli, que é companheiro de Buffon na Juventus. Chiellini é outro atleta que também pode deixar a seleção, mas ainda não confirmou quando isso vai acontecer. Um dos maiores goleiros da história do futebol mundial, Buffon teve participação apenas em dois clubes italianos, o Parma, onde começou a carreira e jogou entre 1995 a 2001, e o atual clube, a Juventus, onde já foi campeão por oito vezes da Série A, além de acumular títulos como Supercopa Italiana, Copa Itália e Série B. Buffon também foi eleito o Melhor goleiro do mundo pela FIFA, em 2017.