Anunciada há um ano como uma das principais patrocinadores do Flamengo, em um acordo que iria render [VIDEO] 190 milhões de reais aos cofres rubro-negros por seis anos, a fabricante de energéticos Carabao não irá mais ocupar o espaço de patrocinador nobre, como havia sido anunciado, na camisa do time. Atualmente, o espaço destinado ao patrocinador master está sendo ocupado pela Caixa Econômica Federal.

As informações foram publicadas pelo portal de notícias Globo Esporte, que entrevistou por e-mail o gerente de marketing do clube, Bruno Spindel, que admitiu que a marca tailandesa seguirá ocupando as mangas da camisa, como vem sido feito deste o início do acordo.

Apesar de não revelar o motivo da decisão, ele ressaltou que ambas as partes estão satisfeitas com a parceria.

“Estabelecemos uma parceria de longo prazo entre a melhor bebida energética e a maior equipe de futebol do Brasil. Ambas as partes estão satisfeitas com o desempenho do relacionamento”, disse. Na época em que foi assinado, o contato previa que o #Flamengo receberia 15 milhões de reais no primeiro ano para estampar a marca nas mangas da camisa.

Já a partir de 2018, até o final do acordo, o valor seria de 35 milhões de reais anuais pela exposição no espaço mais nobre do uniforme rubro-negro. Segundo o Globo Esporte, esses valores não serão reduzidos, mesmo que a marca siga nas mangas.

A empresa não tem tido vida fácil no Brasil nesse primeiro ano, e desde que chegou tem encontrado dificuldades para distribuir seu produto no mercado nacional.

As latinhas de energético não são encontradas nos grandes varejistas do Brasil. Isso acabou se refletindo no #Patrocínio e a empresa chegou a ficar devendo em torno de 9 milhões de reais ao Flamengo, mas esse montante já foi quitado com o clube. O desempenho das vendas do energético no Brasil também tem sido um mistério.

Tanto a empresa quanto ao Flamengo não revelaram quantas latinhas foram vendidas ou se as metas estabelecidas foram alcançadas. Ainda de acordo com o Globo Esporte, nos bastidores comenta-se que os resultados estão muito abaixo do pré-estabelecido, que era de 37 milhões de unidades vendidas até setembro do ano que vem.

“Não cabe ao Flamengo comentar sobre os números de vendas ou as metas de vendas da Carabao”, disse Spindel. Ele ainda afirmou que a empresa continuará a aumentar sua distribuição e vendas no país. Quanto à questão referentes à distribuição, ele explicou que a empresa está diariamente fazendo acordos com varejistas, distribuidores e pontos de venda em todo o Brasil. #PaixãoPorFutebol