Uma pergunta está sem resposta no mundo da bola atualmente: o que aconteceu com o Corinthians? A pergunta é complexa e parece não ter uma resposta definitiva, mas vamos analisar as circunstâncias que levaram o Timão da certeza do título a candidato a mico do ano.

É preciso voltar no tempo, mais precisamente ao início da temporada para entender o motivo da queda do Corinthians. Quando Fabio Carille foi anunciado como treinador da equipe, havia uma enorme desconfiança em relação ao trabalho do ex-auxiliar de Tite. Afinal, era o primeiro trabalho de treinador de Carille e logo no Corinthians.

A diretoria procurou outros nomes, como Reinaldo Rueda, hoje no Flamengo, e Jair Ventura, atual técnico do Botafogo, mas a recusa de ambos fez com que o timão apostasse na novidade.

Era natural que no início de seu trabalho Carille fizesse o arroz e feijão, montou um time compacto, com uma defesa sólida e um coletivo muito comprometido com as ideias do novo treinador, que soube usar as análises da imprensa, que colocou o Timão como a 4ª força do estado, a seu favor.

Isso fez o time ganhar corpo no início do Campeonato Paulista, mas ainda não era o bastante para mostrar onde esse time poderia chegar. O fatídico jogo contra o poderoso #Palmeiras foi o divisor de águas para que a equipe que ganhou embalo para conquistar o Campeonato Paulista, vencendo os outros dois clássicos contras Santos e São Paulo e, na final, derrotando a Ponte Preta.

No início do Campeonato Brasileiro, o Corinthians não figurava entre os favoritos. A falta de elenco e o sistema de jogo que a equipe apresentava pesavam contra os comandados de Carille.

Os melhores vídeos do dia

Mas, o primeiro turno arrasador mudou todo o panorama, o time, que até o início do campeonato era apontado como a 4ª força paulista, agora era a equipe a ser batida. Foi aí que as coisas começaram a desandar.

A campanha histórica fez o clima de “já ganhou” se instalar no dia a dia do Corinthians. Coincidentemente, os atletas que haviam se destacados até o momento, caíram muito de rendimento, como Guilherme Arana, Fagner e Rodriguinho. A defesa que era quase intransponível, passou a ser mais vulnerável as investidas dos adversários e o ataque já não tinha mais a eficiência necessária para garantir os bons resultados. Foram apenas oito gols nos 12 jogos do returno.

O plantel com poucas opções [VIDEO] dificulta o trabalho do treinador, que não tem as peças necessárias para promover as mudanças para manter a equipe jogando em bom nível. Em contrapartida, o técnico também é responsável pelo momento delicado que a equipe passa. Os adversários passaram a anular as principais armas do Corinthians, marcar os melhores jogadores e fazer uma coisa que o Timão não gosta, dar a bola para que o líder proponha o jogo.

Os números mostram que quando o Corinthians se vê obrigado a dar as cartas, tem muita dificuldade de ganhar os jogos. Em 17 partidas no Brasileirão, o Timão teve mais posse de bola que o adversário, e conseguiu seis vitórias, seis empates e cinco derrotas. Já nas outras 13 partidas em que “deu a bola” para o adversário, teve um rendimento melhor com 11 vitórias, um empate e apenas uma derrota. Carille acreditou que a fórmula de sucesso, que deu certo até certo ponto do campeonato, funcionaria pra sempre.

Não se preocupou em criar alternativas para as dificuldades que os adversários trariam a sua equipe. Reluta em tirar alguns jogadores da equipe titular, como o atacante Romero, que não marca a 24 partidas, enquanto seu reserva imediato, Claysson, tem mostrado mais bola, mas não ganha uma chance no time titular.

O momento é conturbado, mas nem tudo está perdido. O tropeço do Palmeiras diante do Cruzeiro manteve o Timão com uma boa vantagem e deu ao clássico da rodada deste final de semana cara de final antecipada. Em caso de vitória no clássico, o Corinthians ganha mais força para seguir firme na briga pelo título. Caso perca para o maior rival, a situação pode se tornar caótica e o título praticamente certo pode cair de bandeja no colo do então desacreditado Palmeiras [VIDEO].

Cenas para os próximos capítulos. #Derby