O zagueiro Pablo não ficará no Corinthians e isso já está decidido. O jogador de 26 anos chegou para o alvinegro paulista por empréstimo de uma temporada junto ao Bordeaux da França e participou como titular da maioria dos jogos da temporada, contribuindo muito com a campanha campeã do Corinthians.

Porém, a relação de Pablo e o clube paulista não terminou da maneira mais amistosa possível, já que no último sábado após um longo período de negociação entre clube e jogador foi decidido que o zagueiro não continuaria no clube. Segundo seu empresário, ambas as partes não chegaram ao um consenso.

O quadro só se agravou quando a direção do Timão afastou Pablo do elenco o tirando até mesmo da festa em comemoração ao heptacampeonato, que ocorreria após a partida contra o Atlético-MG neste domingo.

Segundo o próprio Pablo, a situação o deixou muito triste e disse que essa situação é lamentável. Ainda segundo ele a direção alvinegra pediu para que ele ficasse de fora do treino de sábado alegando “falta de clima” e que isso atrapalharia o resto do elenco. Vale lembrar que o Corinthians já era campeão [VIDEO] antecipado muito antes da rodada de domingo.

Após o jogo, companheiros de equipe de Pablo lamentaram a falta do jogador na festa do título, e seu companheiro de zaga Balbuena disse que lamenta a situação e que queria muito que ele e outros jogadores que não estavam presente estivessem ali para comemorar o ano vitorioso do clube. Rodriguinho também lamentou a falta do companheiro e complementou dizendo que o queria na festa por ser peça importante na temporada.

Em entrevista ao +90, programa do Esporte Interativo, Fernando César, que é empresário do jogador, fez duras críticas à direção do clube paulista.

Ao ser questionado por Emerson Leão sobre o futuro do jogador e como tinha sido sua reação ao saber que não participaria da festa o empresário foi direto e respondeu que teve problemas sérios para conversar com Pablo, pois sua decepção era enorme com a situação.

Segundo ele, o jogador não renovou com o Corinthians, pois a exigência era de que 40% do valor das luvas fosse pago junto ao salario e o restante parcelado e colocado na carteira do jogador. De acordo com ele, as exigências foram feitas pelo fato de o Corinthians não ter quitado muitas de suas dívidas esses ano para com os jogadores, assim para não levar o “calote” fizeram esse pedido que não foi atendido pela direção corintiana.

Sobre o futuro do zagueiro, o empresário afirmou que ele ainda não obteve nenhuma proposta de contrato, nem do Flamengo [VIDEO] como já havia se especulado nem do Palmeiras [VIDEO] ao qual diziam ter tido o jogador oferecido. Fernando ainda acrescenta que a direção alvinegra tenta transferir a responsabilidade pela frustração nas negociações para o jogador que sempre foi exemplar em sua conduta e que mantém gravadas todas as conversas e negociações com o clube paulista caso necessário.