O atacante Robinho, com passagens por clubes de ponta, como Santos, Real Madrid, Milan, Manchester City e Atlético Mineiro, além de ter disputado duas Copas do Mundo (2006-2010), acaba de passar por um grande revés em sua vida. A nona sessão do Tribunal de Milão condenou o craque brasileiro a nove anos de cadeia por ter participado de uma “violência sexual em grupo” dentro de uma boate, em 2013. Ele e mais cinco pessoas teriam praticado o ato contra uma jovem albanesa de 22 anos. O incidente ocorreu quando ele jogava pelo Milan.

A corte presidida por Mariolina Panasiti declarou que Robinho e os demais acusados abusaram das condições físicas e psicológicas da jovem, que havia ingerido muito bebida, ficando inconsciente e sem nenhuma condição de se defender

Robinho teria conhecido a jovem albanesa durante um jantar, em janeiro de 2013, em Milão.

Nessa noite, teria ocorrido a violência sexual. O fato só foi divulgado alguns meses depois, em 2014. O jogador [VIDEO] afirmou que a notícia era triste e mentirosa. Ainda ameaçou processar os jornalistas por informações falsas.

O Ministério Público chegou a pedir a prisão de Robinho [VIDEO]na época, mas a juíza Alessandra Simion rejeitou o pedido por entender que não havia risco dele repetir o ato, tentar fugir ou cometer supressão de provas.

Advogada de Robinho explica o caso

A advogada de Robinho, Marisa Alija, afirmou ao portal do UOL que seu cliente já havia afirmado há anos que não teve qualquer participação no episódio.

Robinho já foi preso por caso semelhante

Quando jogava no Manchester City, da Inglaterra, em 2009, Robinho foi preso sob a mesma acusação, acabou pagando fiança e deixou a cadeia na manhã seguinte.

A acusação era que ele teria atacado uma estudante de 18 anos da Universidade Yorkshire, em uma boate em Leeds. O serviço de investigações da coroa inglesa analisou os detalhes da acusação, mas não encontrou provas.

Carreira foi aquém do esperado

Apesar de ter jogado em grandes clubes do Brasil e do mundo, Robinho não confirmou os prognósticos de muitos que o apontavam em 2002 como um craque que se tornaria o melhor do mundo em poucos anos. Após ótimo começo no Santos e uma passagem regular pelo Real Madrid, o atacante nunca mais voltou ao auge. Disputou as Copas de 2006, como reserva, e de 2010, como titular absoluto, porém passou longe de brilhar com a camisa da Seleção Brasileira.

A expectativa agora será sobre o que ele irá dizer e os novo passos que serão dados após essa condenação.