O ano de 2018 pode reservar sucessos para o Palmeiras, porém, algumas decisões dos dirigentes e conselheiros de futebol podem prejudicar a equipe, por esse motivo que a empresária Leila Pereira, que patrocina o clube, confia no profissionalismo do diretor de futebol Alexandre Mattos para que o grupo tenha sucesso no ano que vem.

Ter um elenco de excelência, além de uma boa equipe titular, é o maior objetivo do Palmeiras, mas para isso o dirigente de futebol do clube já afirmou que a parte a priorizar será a defesa, também preservando o bom ataque que tem, pois o colombiano Miguel Borja teve um bom fim de temporada, animando os torcedores.

Publicidade
Publicidade

O clube alviverde da capital tem os investimentos das empresas Crefisa e FAM (Faculdade das Américas), e por isso, esperam-se grandes temporadas, mas não foi o que aconteceu em 2017, mesmo sendo a equipe que mais executou contratações de peso.

Investimento e venda de jogador

O investimento feito na temporada de 2017 ultrapassou os R$ 100 milhões de reais, tendo contratado o colombiano Miguel Borja, que foi quase metade deste valor, mas agora o clube será mais minucioso e planeja até mesmo vender alguns atletas.

Publicidade

Com o grande excesso de números de jogadores no elenco do clube, o Palmeiras optou por emprestar muitos atletas para, assim, ver se o jogador retomaria uma boa fase para, quem sabe, ser novamente utilizado pelo Verdão, mas isto não aconteceu com um deles.

O Palmeiras é, talvez, o clube brasileiro que mais tem atacantes, sendo eles no elenco principal e boa parte emprestados a outros clubes. É o caso do centroavante Leandro, que estava emprestado a um clube japonês, tendo feito uma boa temporada com 30 partidas de titular e 12 gols, assumindo a vice-artilharia do campeonato e também sendo vice-campeão pelo Kashima Antlers.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Palmeiras

Adaptação!

Como o atleta se adaptou ao futebol asiático, e também não contava com o desejo de voltar ao Brasil para disputar posição com Miguel Borja, Deyverson e Willian, o mesmo preferiu ficar tranquilo no Kashima Antlers, e o Palmeiras, assim, optou por vendê-lo.

Na concepção dos torcedores, o atacante ainda poderia render muito no alviverde, mas os dirigentes do Verdão não quiseram trazê-lo de volta, pois o atleta teria que se readaptar ao futebol brasileiro.

O objetivo do Verdão é trazer atletas que não precisem de adaptação e tenham grandes chances de se tornar protagonistas no Palmeiras e, consequentemente, nos títulos que, provavelmente, virão na temporada de 2018.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo