Além de contratar muitos atletas, o Palmeiras também quer ser mais racional do que passional nesta temporada, assim dispensando alguns jogadores para economizar um pouco mais, porém, nem sempre a dispensa é o caminho, até porque existem atletas com multas no contrato.

Liberar um jogador que tem multa alta ou, até mesmo sem multa, mas que tem um contrato de um ano ainda, o clube seria obrigado a pagar uma indenização, por esse motivo que o erro do Palmeiras de ter contratado muitos atletas será corrigido de uma boa forma.

Empréstimo

Essa será a solução que o Palmeiras vai usar para tirar atletas que não estão em fim de contrato, mas que, por outro lado, não serão mais úteis ao elenco alviverde da capital na nova temporada.

Esta estratégia que já estava sendo utilizada anteriormente, pois muitos atletas que pertencem ao Palmeiras estão emprestados a outros clube, como é o caso de Allione, que irá voltar ao alviverde depois de ter vivido bons momentos emprestado no Bahia.

O Empréstimo funciona da seguinte forma: Geralmente quando um jogador não está sendo utilizado em seu clube atual, ele vai para outra equipe e ambos clube fazem um acordo, sendo que muitas vezes este fechamento [VIDEO] não gera um lucro, mas somente uma evitação de gastos durante a temporada.

O lado bom para a equipe que empresta é que se o jogador se destacar muito em outro clube, ao final do acordo de empréstimo, o clube detentor do jogador pode, tranquilamente, pedir o atleta de volta, assim o mesmo voltaria em alto nível, mas isso é muito difícil de acontecer.

Geralmente, quando o jogador se adapta ao clube que está emprestado, ele é negociado e vendido.

Novo técnico

Roger Machado terá, sem vias de dúvidas, um dos melhores, quiçá o melhor, elenco do Brasil inteiro. Mas, por outro lado, o atacante Érik, que foi muito pouco utilizado em 2017, será emprestado ao Goiás para tentar recuperar o bom futebol e se valorizar.

O objetivo do Palmeiras é que o jogador se valorize mais para ser negociado futuramente, pois ele custou R$ 13 milhões aos cofres do clube e, agora, não vale nem a metade após não ter sido utilizado no alviverde da capital.

O atleta tem contrato com o Verdão até o final de 2017, contando também que o atacante tem somente 23 anos, podendo retomar um bom futebol [VIDEO] no time goiano e aumentando seu passe para, quem sabe, dar um lucro ao Palmeiras.

Mas o que a diretoria planeja mesmo é que o atleta saia da equipe por, pelo menos, R$ 5 milhões.