O Palmeiras já anunciou quatro reforços para a temporada 2018: o meia Lucas Lima, o lateral Diogo Barbosa, o zagueiro Emerson Santos e o goleiro Weverton. Todos chegam em condições de serem titulares do time de Roger Machado. Talvez a posição do goleiro ainda seja uma questão para ser analisada.

Fernando Prass entra no seu último ano como profissional e consequentemente como goleiro do Palmeiras. Jaílson, que se recuperou de lesão grave na virilha, deve ser o titular absoluto na temporada. Weverton chega para brigar pela reserva e deixar Prass como terceiro goleiro. Machado ainda não resolveu quem será titular, mas, pelos números, Jaílson deve assumir a meta a partir de janeiro.

O planejamento imposto por Maurício Galiotte, presidente do clube, se completou ontem. O Verdão está acertado com o lateral Marcos Rocha, do Atlético Mineiro. Falta apenas definir o segundo jogador que vai para o time mineiro. Existe a possibilidade de, além de Roger Guedes, Fabiano vestir a camisa do Galo. Entre o Palmeiras e o jogador já está tudo certo, bastando apenas a assinatura. Galiotte confirmou que o Palmeiras queria cinco reforços e já bateu essa meta. Será que vem mais?

O atacante Ricardo Goulart, que está no Futebol chinês, é a última investida do Verdão. Amigo pessoal de Alexandre Mattos, executivo de futebol do clube paulista, Goulart já revelou que deseja vestir a camisa palmeirense em 2018. O clube da China no entanto ainda analisa os termos da dispensa.

Roger Machado terá pouco tempo para preparar o time.

O Palmeiras estreia de forma oficial na temporada contra o Santo André no próximo dia 17 de janeiro [VIDEO] no Allianz Parque. A data de deve marcar a primeira vez que Lucas Lima vestirá a camisa do Alviverde e o torcedor deve comparecer em massa.

Scarpa não vem

No sorteio dos grupos da Copa Libertadores da América, em Luque, no Paraguai, Galiotte já havia informado em entrevista para o canal de TV Fox Sports [VIDEO] que a situação do negócio com Scarpa era muito complicada. Roger Guedes negou ir para o Rio de Janeiro e complicou todas as ações. O Fluminense queria Erik, mas o atacante tinha acabado de assinar com o Atlético Mineiro.

O Palmeiras adotou a postura de não gastar dinheiro com esse negócio. A ideia principal, desde o começo, era a troca de atletas. O Fluminense tinha sua lista e não abriu mão, e o Palmeiras contava com a autorização dos jogadores pretendidos. Sem dinheiro na parada, o Verdão não conseguiu mais diálogo pelo meia.