Mesmo quando o grupo tinha Roger, os torcedores botafoguenses pediam a contratação de outro nome para reforçar o sistema ofensivo. Com a saída do camisa 9 para o Internacional [VIDEO], aumentou ainda mais a necessidade de contratação. Vários nomes estão sendo sondados para ser mais uma opção para o técnico Jair Ventura no ataque.

O nome mais próximo é Rafael Moura. O atacante, que está defendendo as cores do Atlético-MG, não renovará com a equipe mineira, estando assim livre no mercado para assinar com qualquer outra equipe. A notícia da não renovação o deixou ainda mais próximo do Botafogo-RJ, mas as coisas não ocorreram como o esperado.

De acordo com o site UOL Esporte, o atleta teria pedido um valor salarial elevado, dificultando a negociação [VIDEO]. O atacante queria 250 mil reais mensais, além de dois anos de contrato. Os valores afastaram o Alvinegro da negociação, abrindo o leque e procurando no mercado outras opções.

O jogador pode até voltar a negociar com o Alvinegro carioca, mas, para isso acontecer, ele tem que diminuir a pedida. Porém, nesse momento parece ser muito improvável de acontecer. A intenção de Rafael Moura era a sua permanência no Futebol mineiro, mas o Atlético decidiu que não continuaria com o jogador na próxima temporada.

Com o negócio praticamente descartado, a diretoria botafoguense buscará no mercado outra opção para ser o novo camisa 9. A busca é complexa porque o clube não está em uma condição boa financeiramente.

Isso torna mais um complicador para montar um grande elenco para 2018.

A tendência é Brenner continuar sendo o principal nome no sistema ofensivo botafoguense em 2018. Alguns jogadores tendem a sair, o que abre a possibilidade da chegada de novos atletas e aumentar as chances de ter um 2018 ainda melhor, voltando a disputar a Libertadores da América.

A negociação de Bruno Silva pode ser uma boa para reforçar o ataque. Isso porque alguns nomes foram oferecidos ao Alvinegro e Jair Ventura pode ganhar mais opções. O sonho do clube é contratar William Pottker, mas o Internacional, clube que detém os seus direitos econômicos, não promete fazer jogo fácil em uma liberação por troca com Bruno Silva.

Por conta de um péssimo final de temporada, o clube de General Severiano não jogará em 2018 a Copa Libertadores da América, mas terá a Copa Sul-Americana e Copa do Brasil como grandes opções mais rápidas para voltar a disputar a competição continental e assim alegrar o torcedor.