À rádio Bandeirantes (FM 90,9 São Paulo), o empresário Fernando César confirmou que a transferência de Pablo, por 5 anos, ao Palmeiras já estava quase certa. A declaração foi dada no domingo (10) e agitou o Mercado da bola em pleno fim de semana.

Mas, do lado das Perdizes, a história não é bem essa. Para os dirigentes alviverdes, as condições impostas pelo jogador e seu empresário são incompatíveis com a realidade que o clube tem a oferecer para a concretização do negócio.

Publicidade
Publicidade

Pertencente ao Bordeaux, da França, o brasileiro poderá, até mesmo, retornar ao Corinthians, clube que defendeu nesta temporada, segundo informações que a ESPN diz ter recebido do estafe do atleta.

O imbróglio envolvendo o zagueiro acontece desde sua conturbada saída do alvinegro paulista e conta, inclusive, com sua não participação na festa do título do Corinthians no Campeonato Brasileiro, na última rodada do nacional, contra o Atlético-MG, na Arena do Timão.

Publicidade

Os clubes rivais tem o mesmo posicionamento com relação ao pagamento de luvas. No Parque São Jorge, a pretensão é a de que sejam pagas em duas vezes. No Parque Antarctica, o que assusta é o valor pedido por elas: R$ 4 milhões.

Além do valor das luvas, comissão de 10% a César, salário de R$ 500 mil e o pagamento de mais 3 milhões de Euros - mais de R$ 11 milhões - ao clube francês, detentor dos direitos econômicos de Pablo, são outros fatores que aumentam o impasse para a transferência do jogador ao Palmeiras.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Palmeiras

Alexandre Mattos, diretor de futebol do Verdão, pretendia receber o zagueiro nas mesmas condições em que ele foi negociado com o rival, ou seja, por empréstimo e com redução em sua pedida salarial.

O elenco que será comandado pelo técnico Roger Machado não enfrenta grandes dificuldades no setor defensivo, no momento. A chegada de Pablo poderia suprir, na metade do ano, a saída do colombiano Yerry Mina, que, após a Copa do Mundo da Rússia, vestirá a camisa do Barcelona, acerto realizado em setembro, quando Mattos se ausentou da Academia para concretizar a transferência do zagueiro palmeirense ao Futebol espanhol.

Outra questão que pesa e deve enterrar, de vez, as conversas entre Mattos e César é a informação de que haverá uma reunião entre os dirigentes corintianos e Pablo nesta terça-feira (12). Para o diretor palmeirense, a sensação é de que toda a negociação, até aqui, tenha sido usada apenas como forma de pressionar o rival a ceder e confirmar a permanência do zagueiro no elenco de Fábio Carille em 2018.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo