O #Palmeiras está de olho no mercado para reforçar o time em 2018. O presidente Maurício Galiotte e o executivo Alexandre Mattos estavam em Luque, no Paraguai, acompanhando o sorteio dos grupos da Copa Libertadores da América.

Mesmo em evento importante, Mattos ficou um bom tempo resolvendo situações no celular. Por vezes teve que deixar a sala onde o sorteio estava sendo realizado. O executivo tratava de alguns assuntos, mas tinha um em especial.

O Verdão chegou a ficar muito próximo de bater o martelo pelo meia Gustavo Scarpa, do Fluminense. Os jogadores que seriam envolvidos na troca foram definidos, porém Roger Guedes não quis morar no Rio de Janeiro e negou a possibilidade.

A negativa de Guedes gerou transtorno nas conversas, que foram paralisadas. No entanto, o Verdão havia convencido o atacante e o diálogo voltou, mas nesta quinta-feira o assunto se encerrou de vez. O Palmeiras não vai mais ter Scarpa, pelo menos em 2018.

O Fluminense levantou a hipótese do Palmeiras envolver quantia em dinheiro. O valor foi negado de pronto pela diretoria alviverde, que queria bater o martelo somente envolvendo troca de atletas. Como a questão não foi possível, as conversas foram encerradas.

Libertadores

O Palmeiras já sabe quais adversários vai encarar na fase de grupos da Copa Libertadores da América. O Boca Juniors [VIDEO], da Argentina, o Alianza Lima, do Peru e o vencedor do jogo 4 da segunda fase. O confronto contra os argentinos já é, sem dúvida, o mais aguardado pelos torcedores.

Boca Juniors e Palmeiras já se enfrentaram em jogos históricos. Em 2000, o time argentino foi Campeão do torneio justamente em cima do Palmeiras no Morumbi. Em 2001, eliminou o Palmeiras nas semifinais com jogo sensacional do atacante Riquelme, que fez uma de suas melhores partidas da carreira.

Ambas as partidas estão engasgadas na garganta do torcedor palmeirense que, agora, vê possibilidade de vingança. Eliminar o Boca na primeira fase sem dúvida pode dar uma boa motivação para as fases seguintes.

Em entrevista ainda em Luque, Galiotte admitiu a dificuldade e repetiu um clichê que grande parte dos dirigentes falam: "Não podemos escolher adversários". Lembrando [VIDEO] que o Lanús foi vice-campeão da Libertadores de 2017 e nem de longe foi eleito pela imprensa como favorito.

O Verdão terá a força da torcida mais uma vez para chegar nas fases seguintes. Mesmo admitindo que a Libertadores não será priorizada, o Palmeiras trata com um grande 'sonho de consumo'. #Futebol #Mercado da bola