O novo presidente do Santos [VIDEO], José Carlos Peres, ainda não assumiu o cargo, mas já começa a tomar algumas decisões importantes. De acordo com notícia publicada pelo jornal 'A Tribuna de Santos', o futuro mandatário não gostou dos valores acordados, e irá rescindir um acordo [VIDEO] recém-assinado pelo atual presidente Modesto Roma Júnior, com a que seria a nova fornecedora de material esportivo do clube.

Após tentar um modelo inovador, onde o clube ficaria responsável pela confecção dos uniformes, Modesto havia assinado no mês de outubro um acordo com a Umbro, que havia ficado como parceira do clube por quase duas décadas.

No entanto, o novo presidente considerou baixo o valor 7 milhões de reais oferecidos pela empresa inglesa por dois anos de contrato. “A Umbro já foi avisada disso. Os valores assinados são irrisórios”, afirmou Peres ao jornal Folha de S. Paulo. Ele disse ainda que irá procurar uma nova parceira.

Ainda de acordo com a Tribuna, Peres negocia contrato com a Puma, que atualmente não está fornecendo uniformes para times do Brasil. O último clube brasileiro vestido pela marca foi o Vitória, porém, ela confecciona as camisas de grandes clubes da Europa, como Borussia Dortmund, da Alemanha, Arsenal e Newcastle, ambos da Inglaterra, além das seleções da Itália, Uruguai e Suíça.

Presente de natal

A torcida do Santos deve ganhar um belo presente de natal. Pelo menos é o que espera o presidente eleito, que trabalha para anunciar até o próximo final de semana o retorno do atacante Gabriel Barbosa, o Gabigol, à Vila Belmiro.

Ele viria por empréstimo pelo período de um ano. Flamengo e São Paulo também demostraram interesse em contar com o Futebol do jogador.

Amigo pessoal de Gabriel, Peres vem negociando diretamente com o jovem de 21 anos e o otimismo é tamanho, que até a camisa 10, que antes era usada pelo meia Lucas Lima, já foi reservada para o atacante.

A questão mais complicada mesmo é a financeira. Dona dos direitos federativos do jogador, a Inter de Milão pediu 600 mil euros, cerca de 2,3 milhões de reais, pelo empréstimo, e aceitariam bancar no máximo a metade de seus vencimentos.

Há um ano e meio na Europa, Gabriel ainda não encontrou seu melhor futebol no Velho Continente. Depois de uma temporada defendendo a Inter de Milão, e apenas um gol anotado, o jogador medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro foi emprestado ao Benfica. Em Portugal, no entanto, a má fase seguiu e ele acabou sendo alvo de muitas críticas por lá.