Ricardo Oliveira entrou em acordo com o Atlético Mineiro e terá contrato até o final de 2019. O centroavante é aguardado nos próximos dias em Belo Horizonte para realizar exames médicos e assinar o vínculo com o novo clube. A proximidade do atleta com o treinador Oswaldo de Oliveira foi mais um fator para que a negociação se concretizasse.

Ele retornou ao futebol brasileiro depois de passar quatro anos atuando nos Emirados Árabes Unidos, três na equipe do Al-Jazira, de 2011 até 2014, e depois um no Al- Wasl, onde permaneceu até acertar com o Santos Futebol Clube, em janeiro de 2015.

Ricardo conquistou dois títulos paulistas pelo peixe, um em 2015 outro em 2016, foi artilheiro do Campeonato Paulista e do Brasileiro, em 2015. No período em que atuou na baixada, em sua segunda passagem pela agremiação santista, ele disputou 141 jogos e marcou 71 gols.

Quem também estava no páreo para ter o atleta em 2018 era o arquirrival, Cruzeiro, porém, não conseguiu superar o galo, que acordou os termos da transação na terça-feira.

O jogador se despediu do seu antigo clube através de uma mensagem em rede social. O número 9 disse que sua prioridade seria permanecer na cidade litorânea, porém, não foi possível.

Ele queria um contrato com mais tempo de duração do que o de um ano ofertado. Buscava um vínculo de dois anos e valorização de seu salário pelos dirigentes do alvinegro praiano, mas não foi a proposta que recebeu, por isso optou pela mudança para Minas Gerais.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Santos Atlético Mineiro

O Santos se despediu de Ricardo Oliveira pela sua conta oficial no Twitter e divulgou uma mensagem com as seguintes palavras: “Líder, artilheiro e ídolo”. Somando as duas passagens do atleta pela equipe, ele chegou à marca de 173 jogos e 92 gols.

Sua primeira oportunidade na Vila Belmiro foi em 2003, levando o peixe para uma decisão de Copa Libertadores da América, contra o Boca Juniors. Na ocasião, os brasileiros perderam os dois duelos da final, o primeiro na Argentina, dentro da La Bombonera, por 2x0, e o segundo em São Paulo, no Estádio do Morumbi, por 3x1.

Em sua carreira, Ricardo defendeu Portuguesa, Santos, Valencia, Real Betis, São Paulo, Milan, Zaragoza, Al Jazira e Al Wasi; o Atlético-MG será o nono clube na vida futebolística do goleador de 37 anos, nascido no dia 6 de maio de 1980.

Pela seleção brasileira, foi campeão da Copa América em 2004 e da Copa das Confederações em 2005. Depois de oito anos sem ser convocado para representar seu país, o atacante foi chamado por Adenor Leonardo Bachi, o Tite, dia 20 de setembro de 2015, para enfrentar o Chile, posteriormente participou de alguns confrontos pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, que será sediada na Rússia.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo