Com as saídas de Ricardo Oliveira [VIDEO], Kayke e Nilmar, o ataque do Santos inicia o ano de 2018 bastante desfalcado [VIDEO], com o jovem Yuri Alberto aparecendo como principal opção para o setor ofensivo. O time tem conversado com Gilberto, ex-São Paulo, e durante a semana surgiu a notícia dando conta que o argentino Barcos foi oferecido, mas o grande desejo da nova diretoria santista é mesmo a repatriação de Gabriel Barbosa, que não conseguiu se firmar em um ano e meio e Europa.

Para tentar trazer Gabigol de volta à Vila Belmiro, a diretoria enviou um representante à Itália para negociar com a Internacionale de Milão.

No entanto, as notícias trazidas da Itália não são muito animadoras e a torcida terá que passar a virada de ano sem ainda saber se poderá contar com os gols do atacante.

O representante classificou como de “má vontade” a postura dos dirigentes da Inter. Ele já entregou a proposta, mas uma definição só deverá mesmo acontecer na segunda quinzena de janeiro, ou seja, com o Campeonato Paulista já em andamento e a pouco mais de um mês da estreia do Peixe na fase de grupos da Copa Libertadores da América.

Ainda segundo esse representante, a Inter não trata o caso de Gabigol como prioridade e quer resolver questões relativas aos outros jogadores para depois analisar a situação do brasileiro, que chegou por lá na metade do ano passado, logo após conquistar a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, ao custo de pouco mais de 33 milhões de euros (R$ 131,17 milhões).

A postura dos italianos também é vista como retaliação ao brasileiro, por conta de seus problemas disciplinares, como, por exemplo, abandonar o banco de reservas com a partida ainda em andamento após saber que não seria utilizado.

Prioridade é o Peixe

Sondado por Flamengo e São Paulo, o Santos deve mesmo ser o destino de Gabigol, caso ele volte mesmo ao futebol brasileiro. Inclusive, o novo presidente santista, José Carlos Peres, ouviu de representantes do atleta que o clube é a prioridade do jogador. Um dos triunfos do mandatário é o carinho que Gabriel tem pelo Peixe, onde iniciou nas categorias de base quando tinha 10 anos de idade.

A intenção da diretoria é convencer os italianos a liberarem o jogador por empréstimo de um ano. O Peixe está disposto a arcar com até 40% dos salários do atacante, estipulado em 1 milhão de reais mensais, mas os italianos aceitam pagar no máximo 50% do valor e ainda querem uma compensação financeira.