O Barcelona aproveitou a janela de janeiro de 2018 para concretizar um de seus sonhos mais antigos: Phillipe Coutinho. O meia-atacante brasileiro de 25 anos sai do Liverpool, da Inglaterra, e vai jogar na Espanha por uma quantia milionária, transformando-se na segunda venda mais cara da história do futebol mundial por 160 milhões de euros (R$ 622 milhões na cotação atual da moeda).

Em termos financeiros, Coutinho só fica atrás de um jogador, o também brasileiro e seu amigo particular, Neymar. Na janela de agosto do ano passado, o astro revelado no Santos trocou o Barcelona pelo PSG, da França, pelo valor de por 222 milhões de euros (R$ 862 milhões, hoje).

Pelas redes sociais, aliás, Neymar tratou de dar boa sorte a Coutinho em seu novo desafio e brincou sobre o cabelo do amigo. "Agora é moda?".

Tradicionalmente um clube comprador, o Barcelona [VIDEO] tem, além do segundo (Coutinho), o terceiro jogador que representa a compra mais cara do futebol. Neymar lidera a lista a partir de sua ida ao PSG, e é perseguido por Coutinho e o francês Ousmane Dembélé, comprado junto ao Borussia Dortmund, da Alemanha, por um montante total de 105 milhões de euros.

No que diz respeito às pesadas cifras da negociação, Coutinho preferiu não entrar muito detalhes - e disse que essa parte fica entre os clubes e os empresários -, mas se permitiu fazer uma brincadeira ao dizer que todos ficaram satisfeitos, até mesmo o Vasco da Gama, que, pelas leis vigentes da Fifa, recebe uma quantia da venda por ter sido o clube formador do atleta.

"Está todo mundo feliz. Esse tema também ajuda o Vasco, meu primeiro time e clube que é do meu coração. Acredito que eles devem estar bem felizes por isso", opinou o novo reforço do Barcelona.

No chamado "mecanismo de solidariedade" da Fifa, o clube carioca terá direito a aproximadamente 15,5 milhões de reais, o que será imprescindível para amenizar a crise financeira vivida em São Januário. O Vasco esperava tanto essa venda que incluiu a projeção do valor recebido no orçamento de 2017.

Encontro com meia da seleção e "sonho"

Apresentado nesta segunda-feira pelo Barcelona, Coutinho encontrará no clube catalão um companheiro de seleção brasileira: Paulinho. O volante tem se destacado nesta primeira parte da temporada e é titular da equipe comandada por Ernesto Valverde. Os dois, ao menos em um primeiro momento, devem ser titulares da seleção formada por Tite na disputada da Copa do Mundo, na Rússia, neste ano.

Aos 25 anos, Coutinho [VIDEO] revelou que, quando mais jovem, tinha o hábito de ver o Barcelona jogar por causa de Ronaldinho Gaúcho.

Ele disse que sua decisão de ir jogar no time de Camp Nou não tem relação com dinheiro, e sim por se tratar de um "sonho" enquanto jogador.

"Não se trata de dinheiro. É pela chance de poder atuar com a camisa do Barcelona, pela oportunidade de morar em Barcelona. Quando eu era menor, sempre via os jogos do clube com o Ronaldinho Gaúcho fazendo aquelas magias. Agora tem o Messi sempre fazendo a mesma coisa", admirou o brasileiro.

Cerca de 8 mil torcedores foram ver de perto a apresentação do brasileiro, e o aplaudiram bastante depois do "teste das embaixadinhas". Como de costume em cada chegada de reforço, Coutinho foi até o gramado e deu algumas embaixadas na frente dos fãs. Ele não cometeu nenhum erro e foi bastante aplaudido - já Paulinho, quando da sua contratação, acabou perdendo o controle da bola em determinado momento e recebeu críticas nas redes sociais.

Com uma lesão detectada na coxa, o meia-atacante não poderá jogar durante os próximos 20 dias, que foi o prazo estipulado de recuperação. Por já ter jogado a Champions League desta temporada pelo Liverpool, ele não poderá atuar pelo Barça.