Os analistas esportivos, sobretudo aqueles contrários a essas competições, dizem que campeonato estadual “não vale nada, mas derruba técnico”. Passadas apenas três ou quatro rodadas dos principais estaduais do país, essa máxima tem se mostrado mais uma vez verdadeira. O torcedor muitas vezes não entende que por se tratar de início de temporada, quando não de trabalho, muita coisa ainda tem que ser feita e no primeiro grande tropeço já pedem a cabeça do técnico [VIDEO] e não raramente esse pedido é atendido.

A mais nova vítima desse tipo de situação foi o técnico Lisca, que pediu demissão do Criciúma após derrota do Tigre por 3 a 0 para o Tubarão (que havia perdido todos seus jogos até então), neste final de semana, pela quarta rodada do Campeonato Catarinense [VIDEO], após somente quatro jogos e 48 dias de trabalho.

O diretor de Futebol Emerson Almeida revelou que ainda tentou conversar com o agora ex-treinador para convencê-lo a mudar de ideia, porém o presidente Jaime Dal Farra acabou por acatar o pedido do profissional. “Tentamos conversar, convencê-lo porque o trabalho é excelente no dia a dia”, explicou o dirigente. “O futebol é muito rápido, ele é dinâmico. Respeitamos a decisão dele”, complementou Almeida.

Enquanto não arruma um novo treinador, a dupla Grizzo e Lalo, da categoria sub 20, dirigirão o Carvoeiro na próxima quarta-feira (31), contra o Brusque, fora de casa, pela quinta rodada do estadual. Já o nome do novo treinador ainda irá demorar um pouco, isso porque para esta semana é esperada a chegada de um novo diretor executivo e esta pessoa que ficará encarregada das tratativas para contratar o próximo técnico.

Ao final da partida contra o Tubarão, Lisca decidiu não dar entrevista e coube a Emerson Almeida responder aos questionamentos dos jornalistas na coletiva. Na ocasião, ele afirmou que o futuro da comissão técnica seria decidido nesta segunda-feira (29). Com quatro pontos em quatro jogos, o Criciúma é apenas o oitavo colocado – dentre dez times -, estando a um ponto da zona de rebaixamento.

Também ameaçou ir embora

Um dos mais revoltados após o final da partida contra o Tubarão, o goleiro [VIDEO] Luiz disparou contra a falta de vontade de seus companheiros, ameaçando até mesmo pedir para deixar a equipe. “Não vou colocar na conta de ninguém, mas eu estou envergonhado pela falta de vontade que jogamos”, esbravejou. “Eu me mato lá atrás e o torcedor me xingando, falando para eu ir embora. Se for para eu ir embora, eu vou, é simples”, completou o experiente jogador ao reclamar das críticas que recebeu dos torcedores, além de dizer que não irá “carregar o time nas costas”.