Na reedição da final do Campeonato Paulista de 2017, quem se deu melhor em 2018 foi a Ponte Preta. Atual vice-campeã do torneio, a Macaca visitou o atual campeão Corinthians no Pacaembu, em São Paulo, e conseguiu bater o Timão mesmo jogando com um a menos durante a maior parte da partida realizada na noite desta quarta-feira, dia 17. Do lado corintiano, houveram ainda mais lamentações após Jadson perder um pênalti que poderia ter declarado a igualdade no placar.

O jogo

Com o gramado de sua Arena em reforma, o Corinthians recebeu a Ponte Preta no Pacaembu com mais de 19 mil pagantes empolgados para ver a estreia do time que encerrou o ano passado com o título brasileiro.

Mas o início animador do alvinegro foi logo contigo pelo ímpeto da Ponte, que avançou para a área corintiana e assustou a meta de Cássio com cruzamentos.

Empurrado pela torcida, o Timão saiu para o ataque e se soltou mais na partida. Aos 17, Jadson concluiu para o gol. O goleiro Ivan rebateu e Kazim pegou o rebote, mas o turco chutou mal e finalizou para fora. A ausência de Jô, que foi atuar no Japão, começou a ser sentida pelo time, que ainda busca um centroavante para a temporada.

Com mais desenvoltura, o Corinthians passou a tentar comandar as ações e a buscar o gol no primeiro tempo. Aos 33, o time trocou passes, e Jadson voltou a concluir, acertando o travessão e arrancando suspiros dos torcedores.

A noite parecia se encaminhar a favor do Corinthians, especialmente quando, aos 42 da primeira etapa, o atacante Felipe Cardoso, da Ponte, foi expulso ao levar o segundo amarelo depois de faltas em Gabriel e Cássio.

Com apenas 19 anos de idade, o pontepretano saiu de campo às lágrimas.

Jogando em casa e com um a mais, parecia questão de tempo para o Corinthians abrir o placar no segundo tempo. Ciente da necessidade do resultado, o técnico Fábio Carille tirou Romero e Clayson para as entradas de Lucca e Marquinhos Gabriel, aos 15, tentando dar mais mobilidade e ofensividade ao Corinthians. Mas o destino havia reservado um duro golpe ao Timão.

Aos 23, depois de tiro de meta do goleiro Ivan, o meia Tiago Real ganhou a sobra e tocou para Felipe Saraiva. O atacante da Ponte driblou o lateral corintiano Guilherme Romão e chutou para o gol de Cássio. A bola desviou em Gabriel e morreu no fundo das redes, abrindo o placar para a Macaca no Pacaembu.

Apenas cinco minutos depois do gol, o Corinthians teve sua principal chance de marcar na partida. Jadson recebeu passe de Fagner e limpou a jogada, mas caiu antes de concluir. O árbitro Raphael Claus marcou a penalidade máxima, alegando que Luan Peres derrubou o corintiano.

A marcação gerou revolta entre os jogadores da Ponte Preta, que alegaram que a falta não existiu. Na cobrança, o próprio Jadson foi para a marca de cal, mas a noite não era mesmo do Corinthians. O meia bateu fraco, e Ivan se esticou para defender o chute no canto direito, mantendo a vantagem da Ponte no placar.

Dali em diante, a Ponte se fechou e administrou o placar. O Corinthians ainda tentou arriscar com Rodriguinho, aos 30, mas a bola saiu para fora. Aos 40, Guilherme Romão fez falta em Felipe Saraiva, levou o segundo amarelo e também foi expulso, deixando cada equipe com 10 atletas em campo. Aos 43, o Corinthians perdeu nova chance de tentar empatar, quando Lucca cruzou na área, mas Kazim não conseguiu chegar.

Apesar da derrota, o alvinegro da capital ainda terá novas chances de se reabilitar diante de seu torcedor. Isso porque os três próximos jogos do Timão serão no Pacaembu. No domingo, o time pega o São Caetano, como visitante. Depois, enfrenta a Ferroviária e encara um clássico contra o São Paulo, ambos como mandante. Nos bastidores, a equipe continua procurando um substituto para Jô, cuja falta foi muito sentido nessa estreia.

Embalada pela vitória contra o atual campeão, a Ponte volta para Campinas, onde receberá o Linense, também no domingo, no Moisés Lucarelli.