Não bastasse a falta de resultados em campo [VIDEO], é o último colocado de seu grupo na Taça Guanabara, com apenas dois pontos em três jogos, o clima nos bastidores do Fluminense ferve a cada dia. Problemas de ordem financeira têm atrapalhado o início de temporada do clube e isso já pode provocar baixar dentro de sua diretoria.

Contratado recentemente para o cargo de diretor de Futebol, Paulo Autuori relatou ao presidente [VIDEO] Pedro Abad, ainda durante a excursão do time aos Estados Unidos para a disputa da Florida Cup, sua preocupação com a situação financeira do clube e consequentemente os salários atrasados dos atletas.

Restando uma semana para o final do prazo dado pela diretoria para quitação das dívidas com os jogadores, o dirigente teme que a situação fique insustentável, caso o prazo não seja cumprido e não descarta deixar as Laranjeiras.

O dinheiro para quitar os salários atrasados viram da venda de Wendel ao Sporting de Portugal. Pelo jogador o clube receberia pouco mais de 29 milhões de reais, porém nesta semana o clube sofreu um duro golpe que pode comprometer seus planos. Atendendo a um pedido da Procuradoria da Fazenda Nacional, a Justiça reteve 30% da renda obtida pelo clube. A ação tem caráter provisório e visa receber impostos que estão atrasados.

Paulo Autuori foi apresentado no dia 18 de dezembro e desde então se viu envolvido em uma série de problemas, como a repentina dispensa de oito jogadores, a conturbada saída de Gustavo Scarpa e também o pedido de Henrique Dourado em deixar o clube.

Questionado sobre a possível saída do dirigente, o clube se limitou a dizer que não comenta esse tipo de assunto e disse ainda que isso são histórias passadas para os jornalistas que visam apenas tumultuar o ambiente dentro do clube. Praticamente sem chances de avançar na Taça Guanabara, o Fluminense volta a campo no próximo domingo (28), quando vai até o estádio Raulino de Oliveira encarar a equipe do Madureira.

Calazans recebe alta

Tendo que passar por uma nova cirurgia no joelho após ter sido agredido por vândalos no final do ano passado, o atacante Marquinhos Calazans teve alta do hospital na manhã desta quinta-feira (25). O jogador, que antes da agressão tinha retorno previsto para o próximo mês, agora terá que passar novamente por um longo período de recuperação, estipulado em oito meses. Assim, o atleta só voltará a ficar à disposição da comissão técnica na segunda parte do Campeonato Brasileiro.