O técnico Paulo César Carpegiani atuou no Flamengo como meio-campista entre o final da década de 1970 e início da de 1980. Quando se aposentou, virou técnico do clube da Gávea, comandando a fantástica equipe que se sagrou campeã mundial em 1981.

Nesse período de sua carreira como jogador e treinador do Flamengo, Carpegiani, inteligentemente, observou que mais da metade da equipe era formada por jogadores formados na Gávea, e praticamente todos vestiram a camisa da Seleção Brasileira.

Dos campeões mundiais, como os experientes Zico e Júnior, juntando Leandro, Mozer, Andrade, Adilio e Tita - todos flamenguistas desde as primeiras trocas de fraldas - e somando o experiente Raul, o zagueiro Marinho, os atacantes Nunes e Lico, experientes e formados em outras plagas, mas com grande identificação com as cores rubro-negras, havia uma mescla cuja química era perfeita dentro e fora de campo.

Aproveitando as pratas da casa

Usando essa fórmula, Carpegiani sente que trilha o caminho do sucesso. Na tarde de hoje, no tradicional clássico dos milhões, o Flamengo enfrentará o Vasco da Gama. De um lado do córner, o rubro-negro, que está com aproveitamento de 100% na Taça Guanabara, utiliza com sensatez os excelentes jogadores da base tetracampeões da Copinha e conta com a volta de alguns profissionais que atuaram bem no ano passado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Flamengo

Do outro lado, a equipe cruzmaltina, que perdeu Nenê - seu principal jogador - e em três rodadas perdeu dois jogos e ganhou um, precisando urgentemente de uma vitória contra uma equipe mais forte, extremamente motivada e teoricamente favorita no confronto de hoje, no Maracanã.

Provavelmente, outro fator a favor do Flamengo será atuar no estádio considerado "a sua casa", com o apoio de sua torcida, que também, como a própria equipe, está motivada e poderá comparecer em massa. Poderá haver "mais um baile no Maracanã", como cantava o saudoso sambista rubro-negro João Nogueira?

Um clássico imprevisível

Mas clássico é sempre imprevisível, principalmente este, bem como um Corinthians x Palmeiras, Cruzeiro x Atlético Mineiro ou Internacional x Grêmio. Em muitas outras ocasiões de fases difíceis, o Flamengo se superava contra um então Vasco mais forte e favorito, e revertia a situação. A garra rubro-negra prevalecia, muitas vezes até em decisões quando o clube da Colina era favoritíssimo.

O mesmo costuma acontecer com os mineiros, gaúchos e paulistas.

Mas o técnico Zé Ricardo, que também se formou no Flamengo mas hoje treina o adversário, conhece muito bem a equipe rubro-negra e isso não deve ser subestimado.

Será que mais tarde o Vasco terá personalidade para provar que clássico realmente é imprevisível? Só saberemos acompanhando o maior clássico do Campeonato Carioca daqui a poucas horas, que poderá fazer jus à antiga e carinhosa alcunha de “Clássico dos Milhões”.

Ficha do jogo:

Local: Estádio Mário Filho (Maracanã)

Horário: 17:00h

Juiz: Bruno Arleu de Araújo

Escalações prováveis

Flamengo: César, Pará (Rodinei), Léo Duarte, Rhodolfo e Renê; Cuéllar, Rômulo, Éverton Ribeiro e Lucas Paquetá; Vinícius Júnior e Felipe Vizeu.

Técnico: Paulo César Carpegiani

Vasco: Martín Silva, Yago Pikachu, Erazo, Ricardo e Henrique; Wellington e Evander; Paulinho, Nenê e Wagner; Andrés Ríos.

Técnico: Zé Ricardo

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo