O técnico Paulo César Carpegiani [VIDEO] atuou no Flamengo [VIDEO]como meio-campista entre o final da década de 1970 e início da de 1980. Quando se aposentou, virou técnico do clube da Gávea, comandando a fantástica equipe que se sagrou campeã mundial em 1981.

Nesse período de sua carreira como jogador e treinador do Flamengo, Carpegiani, inteligentemente, observou que mais da metade da equipe era formada por jogadores formados na Gávea, e praticamente todos vestiram a camisa da Seleção Brasileira.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Flamengo

Dos campeões mundiais, como os experientes Zico e Júnior, juntando Leandro, Mozer, Andrade, Adilio e Tita - todos flamenguistas desde as primeiras trocas de fraldas - e somando o experiente Raul, o zagueiro Marinho, os atacantes Nunes e Lico, experientes e formados em outras plagas, mas com grande identificação com as cores rubro-negras, havia uma mescla cuja química era perfeita dentro e fora de campo.

Aproveitando as pratas da casa

Usando essa fórmula, Carpegiani sente que trilha o caminho do sucesso. Na tarde de hoje, no tradicional clássico dos milhões, o Flamengo enfrentará o Vasco da Gama. De um lado do córner, o rubro-negro, que está com aproveitamento de 100% na Taça Guanabara, utiliza com sensatez os excelentes jogadores da base tetracampeões da Copinha [VIDEO]e conta com a volta de alguns profissionais que atuaram bem no ano passado. Do outro lado, a equipe cruzmaltina, que perdeu Nenê - seu principal jogador - e em três rodadas perdeu dois jogos e ganhou um, precisando urgentemente de uma vitória contra uma equipe mais forte, extremamente motivada e teoricamente favorita no confronto de hoje, no Maracanã.

Provavelmente, outro fator a favor do Flamengo será atuar no estádio considerado "a sua casa", com o apoio de sua torcida, que também, como a própria equipe, está motivada e poderá comparecer em massa.

Poderá haver "mais um baile no Maracanã", como cantava o saudoso sambista rubro-negro João Nogueira?

Um clássico imprevisível

Mas clássico é sempre imprevisível, principalmente este, bem como um Corinthians x Palmeiras, Cruzeiro x Atlético Mineiro ou Internacional x Grêmio. Em muitas outras ocasiões de fases difíceis, o Flamengo se superava contra um então Vasco mais forte e favorito, e revertia a situação. A garra rubro-negra prevalecia, muitas vezes até em decisões quando o clube da Colina era favoritíssimo. O mesmo costuma acontecer com os mineiros, gaúchos e paulistas.

Mas o técnico Zé Ricardo, que também se formou no Flamengo mas hoje treina o adversário, conhece muito bem a equipe rubro-negra e isso não deve ser subestimado.

Será que mais tarde o Vasco terá personalidade para provar que clássico realmente é imprevisível? Só saberemos acompanhando o maior clássico do Campeonato Carioca daqui a poucas horas, que poderá fazer jus à antiga e carinhosa alcunha de “Clássico dos Milhões”.

Ficha do jogo:

Local: Estádio Mário Filho (Maracanã)

Horário: 17:00h

Juiz: Bruno Arleu de Araújo

Escalações prováveis

Flamengo: César, Pará (Rodinei), Léo Duarte, Rhodolfo e Renê; Cuéllar, Rômulo, Éverton Ribeiro e Lucas Paquetá; Vinícius Júnior e Felipe Vizeu.

Técnico: Paulo César Carpegiani

Vasco: Martín Silva, Yago Pikachu, Erazo, Ricardo e Henrique; Wellington e Evander; Paulinho, Nenê e Wagner; Andrés Ríos.

Técnico: Zé Ricardo