Alexandre Mattos, iniciou 2018 mantendo agitado o #Mercado da bola e tomando decisões que refletirão em baixas no elenco do Verdão, já comandado pelo técnico Roger Machado. O diretor de futebol da Sociedade Esportiva Palmeiras [VIDEO], contratado para ocupar a vaga de José Carlos Brunoro, em 2015, no início da segunda gestão de Paulo Nobre à frente da presidência do clube, não enxergou razões para as renovações de vínculos com sete atletas palmeirenses. Três deles foram campeões vestindo a camisa do Alviverde paulista.

Vindo do francês Toulouse, em 2010, por empréstimo e a pedido do então técnico Luiz Felipe Scolari, faz parte da lista de dispensas o meia-atacante Luan, 29 anos, que disputou a temporada passada vestindo a camisa do América-MG.

Por ser atacante, o atleta foi muito criticado pela torcida palmeirense, logo em suas primeiras atuações, em virtude da falta de gols que, obviamente, estava condicionado a marcar.

Em 2011, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR), o Coxa atropelou o Verdão na primeira partida das quartas de final da Copa do Brasil por 6 a 0 e a torcida do #Palmeiras perdeu a paciência com o atacante. No dia seguinte ao vexame, os muros do Palestra Itália amanheceram pichados com ataques diretos pedindo as saídas de Luan e Rivaldo. No entanto, o jogador permaneceu na Academia de Futebol do Palmeiras já que o clube, em agosto daquele ano, adquiriu 100% de seus direitos federativos e fechou contrato com o atleta até a metade de 2016.

No ano seguinte, os palmeirenses voltaram a fazer as pazes com Luan depois de ele ter disputado a final da Copa do Brasil, contra o mesmo Coritiba, lesionado e, literalmente, se arrastando em campo.

Apesar de ter sido o campeão daquela edição do torneio nacional, o Palestra Itália foi, naquele ano de 2012, rebaixado para a série B do Campeonato Brasileiro e Luan era integrante do elenco.

Vaiado no início de 2013 durante partida contra o Bragantino, pelo Campeonato Paulista, o jogador passou a cogitar a possibilidade de deixar o clube. Como a torcida continuou insatisfeita com a sua permanência no time, Luan pediu aos dirigentes paulistas que o negociassem e, assim, ele seguiu emprestado ao Cruzeiro onde, incrivelmente, marcou três vezes contra o São Paulo, no Campeonato Brasileiro daquele ano. O feito deixou o clube mineiro na liderança do nacional que acabou vencido pela Raposa. No ano seguinte Luan também foi Campeão Mineiro sob o comando de Marcelo Oliveira.

Terminado o período de empréstimo com o time celeste o atacante foi novamente cedido. Desta vez, para o Al-Sharjah, clube dos Emirados Árabes Unidos. Em 2016, retornou ao Verdão, mas ficou um bom tempo fora dos gramados, aparecendo oficialmente somente na 6ª rodada do Brasileirão do mesmo ano.

Em agosto, foi para o Atlético-PR, onde ficou até o fim da temporada para, em 2017, ser emprestado ao Red Bull Brasil apenas para o Paulistão. Depois, em maio, foi para o Atlético-MG [VIDEO], clube com o qual negociava sua permanência desde dezembro de 2017.

Além de Luan, outro atacante dispensado é Alecsandro, no Palmeiras desde 2015 e integrante do elenco Campeão Brasileiro de 2016. Irmão do também jogador Richarlyson (ex-São Paulo), atualmente jogando no Guarani, de Campinas (SP), Alecsandro disputou a temporada 2017 emprestado ao Coritiba e, embora esteja com seu futuro indefinido, existe um pré-contrato assinado entre o atleta e o clube paranaense.

Amaral, que estava emprestado ao time da Chapecoense, Bruno Oliveira, no Bragantino (SP), Luiz Gustavo, no Oeste (SP), Léo Cunha, emprestado para o Potiguar (RN) e Gabriel Dias, que estava com o Paraná (PR), são os demais atletas que completam essa lista de dispensas de Alexandre Mattos.

Roger Machado também não poderá contar com o meio-campista palmeirense Raphael Veiga, que disputará esta temporada emprestado ao Atlético Paranaense. #FutebolBrasileiro