Muitos torcedores podem imaginar que o fato de um jogador em final de contrato se transferir para outro clube não acarreta custos para quem o contrata. No entanto, muitas vezes não é o que acontece, uma vez que o negócio pode envolver comissão para agentes e luvas para o próprio jogador pivô da negociação. E foi o que aconteceu com Renê Junior, que apesar de estar livre do contrato com o Bahia, custou cinco milhões de reais aos cofres do Corinthians. [VIDEO]

Desse montante, dois milhões foram acordados para serem pagos a vista e o restante em parcelas.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

A informação foi divulgada pelo portal UOL Esporte, que ainda noticiou que esse valor foi para o atleta e seus representantes da Elenko Sports, empresa que é liderada pelo ex-conselheiro corintiano Fernando Garcia.

Na temporada passada, Garcia chegou a ter dez jogadores agenciados no elenco alvinegro.

Para efeito de comparação, Júnior Dutra, que também chegou ao Corinthians [VIDEO] após encerrar seu vínculo com o Avaí, custo aos cofres do clube “apenas” 300 mil reais, que foi repassado para um ex-agente, fazendo com que ele desistisse de entrar na Justiça contra o clube.

Outros jogadores importantes do Corinthians são agenciados pelo empresário, como Lucca, Carlinho, Caíque, Walter, Guilherme Romão e Vílson. Na época em que foram negociados com o Futebol europeu, 60% dos direitos sobre Guilherme Arana e 70% sobre Malcom pertenciam a Elenko Sports.

A reportagem do UOL ainda procurou o presidente Roberto Andrade, via assessoria de imprensa, sobre os valores envolvidos na negociação, no entanto, o mandatário, que deixará o cargo no próximo dia 3, não respondeu aos questionamentos.

Vai quitar premiação

Perto de deixar o cargo, o atual presidente Roberto de Andrade prometeu quitar a premiação dos jogadores pelo título do Campeonato Brasileiro até o final de seu mandato. Apesar da diretoria não confirmar, o dinheiro usado para pagar os atletas virá de uma parcela paga pelo pelo Nagoya Grampus, do Japão, pelo atacante Jô.

Pelo título de campeão brasileiro, a CBF pagou 18 milhões de reais de premiação ao Corinthians. Desse valor, 60% - cerca de 10,8 milhões – foram destinados a serem divididos entre os jogadores e comissão técnica. O valor foi pago há cerca de duas semanas, porém a diretoria decidiu por fazer pagamentos emergenciais, adiando o repasse para os jogadores. Esses pagamentos haviam sido prometidos para o dia 15 último, porém houve mais um adiamento e agora a promessa é que até o final do mês tudo esteja pago.