Muitos torcedores podem imaginar que o fato de um jogador em final de contrato se transferir para outro clube não acarreta custos para quem o contrata. No entanto, muitas vezes não é o que acontece, uma vez que o negócio pode envolver comissão para agentes e luvas para o próprio jogador pivô da negociação. E foi o que aconteceu com Renê Junior, que apesar de estar livre do contrato com o Bahia, custou cinco milhões de reais aos cofres do Corinthians.

Desse montante, dois milhões foram acordados para serem pagos a vista e o restante em parcelas.

Publicidade
Publicidade

A informação foi divulgada pelo portal UOL Esporte, que ainda noticiou que esse valor foi para o atleta e seus representantes da Elenko Sports, empresa que é liderada pelo ex-conselheiro corintiano Fernando Garcia. Na temporada passada, Garcia chegou a ter dez jogadores agenciados no elenco alvinegro.

Para efeito de comparação, Júnior Dutra, que também chegou ao Corinthians após encerrar seu vínculo com o Avaí, custo aos cofres do clube “apenas” 300 mil reais, que foi repassado para um ex-agente, fazendo com que ele desistisse de entrar na Justiça contra o clube.

Publicidade

Outros jogadores importantes do Corinthians são agenciados pelo empresário, como Lucca, Carlinho, Caíque, Walter, Guilherme Romão e Vílson. Na época em que foram negociados com o Futebol europeu, 60% dos direitos sobre Guilherme Arana e 70% sobre Malcom pertenciam a Elenko Sports.

A reportagem do UOL ainda procurou o presidente Roberto Andrade, via assessoria de imprensa, sobre os valores envolvidos na negociação, no entanto, o mandatário, que deixará o cargo no próximo dia 3, não respondeu aos questionamentos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Corinthians

Vai quitar premiação

Perto de deixar o cargo, o atual presidente Roberto de Andrade prometeu quitar a premiação dos jogadores pelo título do Campeonato Brasileiro até o final de seu mandato. Apesar da diretoria não confirmar, o dinheiro usado para pagar os atletas virá de uma parcela paga pelo pelo Nagoya Grampus, do Japão, pelo atacante Jô.

Pelo título de campeão brasileiro, a CBF pagou 18 milhões de reais de premiação ao Corinthians. Desse valor, 60% - cerca de 10,8 milhões – foram destinados a serem divididos entre os jogadores e comissão técnica.

O valor foi pago há cerca de duas semanas, porém a diretoria decidiu por fazer pagamentos emergenciais, adiando o repasse para os jogadores. Esses pagamentos haviam sido prometidos para o dia 15 último, porém houve mais um adiamento e agora a promessa é que até o final do mês tudo esteja pago.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo