Lucas Pratto deve ficar no tricolor paulista em 2018. É o que aponta o agente do jogador, Gustavo Goñi, em entrevista à rádio argentina Closs Continental, nesta segunda-feira (1º de janeiro). Se a notícia agrada aos são-paulinos, esfria de vez a intenção do River Plate de contar com o atacante para a Libertadores deste ano.

O agente de Pratto afirmou à rádio que, até o momento, não foi comunicado de nenhuma oferta por parte dos Millionarios. "Nem por 10 milhões de dólares (cerca de R$ 33 milhões), nem por 11 milhões (cerca de R$ 36,4 milhões). Não me comunicaram nada", disse Goñi. "O São Paulo não quer vendê-lo", completou, afirmando que seria "impossível" o jogador iniciar a pré-temporada no River.

A possível volta de Pratto ao futebol argentino tem esquentado o noticiário esportivo local. No entanto, Goñi define que "as especulações não são nada além de expectativa por parte da imprensa e da torcida".

Goñi, no entanto, confidenciou que a volta de Pratto à terra natal seria bem vista pelo jogador. "Se a proposta for boa, ele (Pratto) veria com bons olhos voltar à Argentina para estar perto de sua filha", finalizou.

Lucas Pratto tem 29 anos e iniciou sua carreira nas divisões de base do Boca Juniors, da Argentina. Atuou também por Tigre, Unión Santa Fé e Vélez Sarsfield, onde ganhou destaque continental. Já atuou no futebol norueguês (Lyn Oslvo), chileno (Universidad Católica) e italiano (Genoa) antes de chegar ao Atlético Mineiro e, posteriormente, ao São Paulo.

Temporada frustrante

Contratado a peso de ouro (R$ 20,7 milhões por 50% dos direitos do jogador) e com status de herói, Lucas Pratto desembarcou no Morumbi trazendo expectativas altas para a torcida são-paulina.

Com o ídolo Rogério Ceni no comando, Pratto assumiu rapidamente o papel de líder da equipe e conseguiu, pelo menos no início, justificar o alto investimento.

No entanto, a má fase tricolor refletiu no futebol do atacante argentino. As eliminações precoces em todas as competições de mata-mata que o time disputou (Paulistão, Copa do Brasil e Sul-americana) e a fraca campanha no Brasileirão, em que a equipe foi seriamente ameaçada pelo rebaixamento, interferiram no ano do atacante, que terminou a temporada com 14 gols em 48 partidas.

2018 começa para o São Paulo com incertezas semelhantes a 2017, e o jogador argentino pode ser peça fundamental para as certezas começarem a aparecer. O presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, conhecido como Leco, chegou a afirmar recentemente que não há qualquer possibilidade de o São Paulo negociá-lo.

Além de Pratto, o tricolor paulista pode perder seu principal jogador em 2017, o meia-campista Hernanes [VIDEO]. O lateral-direito Buffarini já se despediu do clube e vestirá a camisa do Boca Juniors [VIDEO]neste ano. #FutebolBrasileiro #São Paulo FC