O Palmeiras voltou aos treinos nesta quarta-feira. Na quinta já teve movimentação com bola e, apesar de ser o primeiro treino, empolgou o técnico Roger Machado. Machado recebeu caras novas: Lucas Lima, Emerson Santos, Diogo Barbosa, Weverton, Victor Luiz e Marcos Rocha apareceram após firmar contrato com o clube paulista.

A diretoria entende que o ciclo de novos reforços findou, mas não fecha a porta para negociações que já estavam em andamento e não foram concretizadas. Nesta sexta-feira uma boa notícia chegou para a torcida palestrina: o atacante Ricardo Goulart, que está no Guangzhou Evergrande, da China, voltou à mira.

Goulart reafirmou para os chineses que não quer mais ficar no Futebol asiático e que defender o Palmeiras seria o seu objetivo. Os chineses ainda não responderam.

Alexandre Mattos, executivo de futebol, tem um excelente relacionamento com o atacante e com seu estafe. A proximidade pode ajudar - e muito - na contratação. O Palmeiras está disposto a pagar pelo jogador, mas precisa saber qual a intenção do Evergrande. Os chineses pagaram quase R$ 50 milhões na época por um contrato que vai até 2020. Obviamente que esse valor não será arcado pelo Verdão, que deve pedir primeiro um empréstimo.

E Yerry Mina?

O zagueiro colombiano Yerry Mina foi ao Centro de Treinamento da Barra Funda e conversou [VIDEO] com dirigentes palmeirenses. Ele expôs que deseja defender o Barcelona, da Espanha, e aguarda as tratativas finais.

Se der certo, o Palmeiras [VIDEO] perderá o zagueiro, mas ganhará uma boa porcentagem acima do acordado. O acordo firmado entre o Alviverde e o time catalão permitia a permanência do zagueiro até o meio de 2018, pouco antes da Copa do Mundo. A quebra do acordo representa valor maior no caixa palestrino.

A posição defensiva preocupa. Roger Machado tem Emerson Santos, Edu Dracena, Antônio Carlos, Juninho e Luan. Os dois últimos não fizeram uma boa temporada e receberam críticas ferrenhas dos torcedores. A dupla titular deve ser Edu Dracena e Emerson Santos, com Antônio Carlos reserva absoluto. Tudo vai depender dos treinos.

Mattos está buscando um novo defensor e não revelou qual o estilo e nome. O clube conversou com a Crefisa, que liberou dinheiro para fazer negócio. A dificuldade está justamente em nomes viáveis para conversar. Outro problema encontrado pelo Palmeiras é a dificuldade imposta pelos empresários. Com situação financeira boa e amplamente divulgada pela imprensa, os valores das negociações sofrem acréscimos grandes.