Vindo de vitória por 3 a 1 diante do BRB/Brasília, na terça-feira (9), o #Vôlei Bauru volta à quadra nesta sexta-feira, 12, às 19h30, no Ginásio Panela de Pressão, contra o Sesi. O confronto, válido pela quarta rodada do returno da #Superliga 2017/2018, é importante para as pretensões de classificação da equipe bauruense às quartas de final, fase que será disputada pelos oito melhores times após o encerramento do segundo turno.

Com 20 pontos somados após cinco vitórias e nove derrotas, o Vôlei Bauru está, atualmente, na sétima colocação da tabela de classificação. Dois pontos e uma colocação atrás, mas com um jogo a menos, está o Pinheiros, que nesta rodada tem “parada dura” em seus domínios diante do Vôlei Nestlé/Osasco, atual terceiro colocado.

o São Cristóvão Saúde/São Caetano, na nona colocação com 16 pontos, também terá compromisso complicado em casa diante do vice-líder Sesc RJ.

G8

Por isso, somar três pontos diante do Sesi será fundamental para o Vôlei Bauru não apenas se manter no G8, mas também, dependendo da combinação dos demais resultados da rodada, poder abrir ainda mais vantagem contra rivais diretos na briga pelas vagas no G8.

O Sesi não faz boa campanha [VIDEO] na atual edição da Superliga 2017/2018, pois, até o momento, não conseguiu nenhuma vitória nos 14 jogos já disputados até aqui, ocupando a última colocação da tabela de classificação. No entanto, a má fase das adversárias não ilude as jogadoras e comissão técnica do Vôlei Bauru.

“O Sesi sempre faz bons jogos contra a gente. No início do Paulista ganharam da gente e, apesar de ainda não terem ganhado nenhum jogo até agora, elas têm feito boas partidas, têm um elenco experiente e com boas jogadoras.

Não conseguiram ainda achar o caminho da vitória, mas é uma equipe que tem de ser respeitada e valorizada. Não será um jogo fácil. Pelo contrário, pois elas estão em busca da primeira vitória, enquanto nós estamos em busca de uma manutenção de sequência”, destaca a central Angélica, capitã do Vôlei Bauru.

Para a atleta, a agressividade será a chave do sucesso diante do Sesi. “O que precisamos fazer é sermos extremamente agressivas. Precisamos sacar muito forte e nosso sistema ofensivo tem de ser manter forte o tempo inteiro, além de taticamente nos mantermos dentro do que o Fernando (Bonatto, técnico do Vôlei Bauru) propuser. Se conseguirmos executar isso, teremos grandes chances de sair com a vitória”, analisa Angélica.

Técnico

Já o técnico do Vôlei Bauru, Fernando Bonatto, destaca que o time precisa evitar a oscilação apresentada diante do BRB/Brasília, quando dominou amplamente os dois primeiros sets e depois sofreu para fechar o jogo no terceiro e quarto sets. “Conseguirmos nos impor muito bem nas duas primeiras parciais e não demos chance para o Brasília jogar.

Já no terceiro set eles mudaram a proposta de jogo e, por isso, conseguiram equilibrar a partida. O que ficou de aprendizado para nós daquele jogo foi o de sabermos trabalhar com os diversos momentos das partidas, identificando quais as melhores formas e mais rápidas de se resolver as dificuldades e mantendo um equilíbrio dentro do jogo. Precisamos ser agressivos o tempo todo, com equilíbrio e consistência”, ressalta Bonatto.