Valdiram foi destaque em 2006 atuando pelo Vasco da Gama [VIDEO], onde se tornou artilheiro do Cruz-Maltino na Copa do Brasil. Naquele ano, o Vasco viu seu maior rival, o Flamengo, ser campeão da competição, mas isso não apagou as boas atuações de Valdiram, grande nome do Vasco naquela Copa. Para a infelicidade dos vascaínos, Valdiram não pôde atuar na final contra o Flamengo, em decorrência de sua indisciplina perante o clube. Na ocasião, teve que assistir de fora seu time ser derrotado por 2 a 0.

As limitações de Valdiram atuando pelo Vasco giravam em torno de sua indisciplina. A compulsão por sexo, o vício em drogas e o alcoolismo foram cruciais para que sua carreira no mundo do Futebol fosse aos poucos sendo destruída.

Entre 2006 e 2011, ele perambulou por 18 clubes, mas seu fim de carreira já era nítido. Chegou até a fazer parte da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, mas as constantes recaídas o tiraram de lá. Nem mesmo sua irmã quis recebê-lo. Então, ele partiu para pedir ajuda ao clube Bonsucesso, que também lhe negou ajuda.

Comandante do Vasco da Gama em 2006, Renato Gaúcho foi um dos que se sensibilizou com a situação atual do ex-atleta. Atualmente treinando o Grêmio, Renato afirma que chegava a multar Valdiram quase toda semana, dava conselhos, a fim de mudar o comportamento do jogador, mas de nada adiantava. A maior punição veio na Copa do Brasil, quando o atleta disputava a artilharia. O atacante foi barrado na final contra o Flamengo e não pôde defender o clube contra o maior rival.

De São Januário veio a esperança

Graças ao programa de reestruturação de ex-jogadores do Vasco da Gama, o ex-atacante poderá receber tratamento em uma clínica de reabilitação.

Primeiramente ele deverá passar por uma bateria de exames para a detecção ou não de doenças. Caso não seja detectada nenhuma enfermidade, ele será direcionado para a clínica.

A Saferj (Sindicato dos Atletas de Futebol do Rio de Janeiro) também se interessou pela causa de Valdiram. Atual presidente da entidade, o ex-jogador Deninho, diz estar acompanhando de perto as atividades do Vasco [VIDEO].

A Saferj trabalha na reestruturação de jogadores que vivem em situações complicadas depois do fim da carreira. A entidade ganhou notoriedade em 2013, quando ajudou o ex-jogador Perivaldo, que vivia nas ruas de Portugal. Perivaldo atuava como lateral e se destacou jogando pelo Botafogo.

Apesar de se tratar de situações diferentes, já que no caso de Perivaldo não havia vícios em drogas ou álcool, a Saferj destaca que a causa não pode ser deixada de lado.