O Palmeiras enfrenta o Santos no próximo domingo (4) pela quinta rodada do Campeonato Paulista 2018. A torcida, empolgada pelas últimas quatro vitórias, vai lotar o Allianz Parque. De acordo com a última parcial divulgada pela assessoria de imprensa, já foram vendidos mais de 32 mil bilhetes. Até domingo pode ser vendido mais três mil, totalizando 35 mil. A arena tem capacidade máxima para 42 mil pessoas.

Em campo, o técnico Roger Machado prepara a equipe e algumas alterações podem ser feitas. No treino desta quinta-feira, Machado colocou Victor Luiz de volta na lateral e sacou Michel Bastos. Victor foi poupado contra o Bragantino e Michel teve oportunidade de mostrar seu valor.

No ataque, Miguel Borja pode iniciar o clássico no banco de reservas, enquanto Keno pode ser titular ao lado de Willian e Dudu. Willian pode ser deslocado como centroavante e fazer o papel do colombiano.

O meio-campista Gustavo Scarpa, recém-contratado junto ao Fluminense, deve ser a grande novidade no banco de reservas. Pronto fisicamente, o atleta virará opção para o treinador.

Outro enrosco

A política palmeirense sempre foi bastante conturbada. Nesta semana outro fato emergiu sobre o ex-presidente Mustafá Contursi. José Roberto Lamacchia, dono da Crefisa, entrou com ação judicial cobrando R$ 450 mil do sindicato em que Mustafá é presidente.

De acordo com matéria do UOL Esporte, a Crefisa enviou o valor por meio de depósito bancário no dia 5 de maio de 2017. No e-mail divulgado pelo portal, Contursi informa os dados bancários do Sindicato no dia 4, um dia antes do depósito ser confirmado.

Após briga com o casal dono da Crefisa, Contursi tem sofrido fortes consequências. Internamente, o ex-presidente [VIDEO] é cobrado por ter pedido para a patrocinadora não mais colocar dinheiro no clube enquanto os gastos não fossem controlados. Ele é totalmente contra gastar muito dinheiro com reforços. Tanto que na época que era presidente, lançou o slogan de 'bom e barato', que na prática acabou se tornando 'ruim e caro'. Mustafá foi responsável pelo primeiro rebaixamento do Palmeiras na história, em 2002.

Contursi também tinha influência na diretoria do ex-presidente Arnaldo Tirone, gestor em 2012 quando o Verdão foi novamente rebaixado para a segunda divisão [VIDEO].

A juíza da vara onde o processo foi instaurado pediu 15 dias úteis para o Sindicato se manifestar. Contursi disse que foi uma doação da financeira e não um empréstimo como foi falado.