Uma enorme confusão marcou a eleição do empresário Andrés Sanchez, 54 anos, ao posto de novo presidente do Corinthians. Com a vitória nas urnas, que foi corroborada no final da tarde deste sábado, no Parque São Jorge, o deputado federal pelo PT-SP volta ao cargo que já ocupou entre 2007 e 2012, quando conduziu o clube paulista do título da Série B ao título do Mundial de Clubes da Fifa, em 2012, sobre o Chelsea.

Sanchez era o candidato da situação e substituirá Roberto de Andrade, que por consequência está deixando o cargo. Ainda que tenha um mandato público em vigência, dentro do Congresso Nacional, o novo presidente corintiano garante que estará comprometido única e exclusivamente com o clube. Ele não vai tentar a reeleição no pleito de 2018 e se licenciará do cargo para focar no Corinthians.

Andrés terá, a partir de então, um mandato de três anos à frente de um dos times mais populares do Brasil.

No total, 3.642 sócios votaram e deram maioria de 33,9% a Andrés - 1.235 votos. O segundo mais votado foi Paulo Garcia, com 22,9% - 834 votos. Antonio Roque Citadini, Felipe Ezabella e Romeu Tuma Jr foram os outros candidatos.

Antes dos protestos e da confusão tomar conta do ginásio que abrigava os votos, Sanchez atendeu alguns jornalistas presentes e disse suas primeiras palavras na volta à cadeira mais importante do Corinthians.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Corinthians

E prometeu um time "competitivo".

"A torcida pode esperar um time competitivo. Não é só querer contratar, é buscar alguém identificado com o clube. Que se enquadrem com aquilo que o Corinthians tem praticado na última década", destacou.

Em seguida, torcedores se aproximaram da ala em que o novo presidente dava entrevistas e iniciaram uma enorme confusão. "Andrés, aqui não tem burguês!", gritavam. Um dos mais exaltados chegou a jogar um copo de cerveja em direção a Sanchez.

Acuado, ele teve de ser abrigado por seguranças em um banheiro feminino, onde permaneceu por cerca de 20 minutos até que chegassem reforços e a confusão acalmasse.

O vídeo a seguir, com créditos ao Esporte Interativo, mostra o clima relatado:

O clima exaltado visto no Parque São Jorge teve efeitos também para quem tentava apenas cumprir o seu trabalho.

O repórter Flávio Ortega, da ESPN Brasil, foi agredido por torcedores corintianos na região de fora do ginásio e chegou a cair no chão por um chute recebido. O câmera da emissora também teria sido agredido, de acordo com relatos de quem estava presente.

Duilio Monteiro Alves será o novo diretor de futebol da chapa de Andrés Sanchez, e aproveitou a ocasião para não apenas defender o novo presidente como para criticar quem protestou.

Segundo o dirigente, essa parcela não representa a imensidão do tamanho da torcida do Corinthians.

"O Corinthians tem quase 30 milhões de torcedores. É uma torcida que jamais vai se limitar a essa parte que está protestando assim. Foi uma eleição democrática e com resultado justo", comentou Alves em entrevista publicada pelo portal Globoesporte.com.

Duilio, possivelmente, integrará a diretoria de futebol ao lado do ex-jogador Alessandro, que vem exercendo o cargo de gerente de futebol. A chapa vencedora encabeçada por Andrés Sanchez pretende manter o ex-atleta se o mesmo "estiver dentro da filosofia".

Para evitar algum tipo de agressão ou mais protestos, Andrés foi vistando deixando o local deitado em um banco de trás de um carro, cobrindo a cabeça com uma toalha. A nova diretoria será "apresentada" oficialmente neste domingo, em Novo Horizonte, que recebe o Corinthians para o enfrentamento contra o time local Novorizontino, em mais uma rodada do Campeonato Paulista de 2018.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo