O presidente pode até ter mudado, mas o imbróglio envolvendo [VIDEO] o lateral-esquerdo Zeca e o Santos ainda seque a todo o vapor. Nesta quinta-feira (8), ganhou mais um novo capítulo, após declarações dadas pelo atual presidente José Carlos Peres, que foi duramente rebatida pelo jogador em uma rede social.

Com dificuldades [VIDEO] para encontrar um lateral-esquerdo, uma vez que o recém-contratado Romário não tem agradado, foi cogitado o retorno de Zeca, que está em litígio com o clube desde novembro passado. Ele ganhou uma liminar que o libera para assinar com outro time, mas uma decisão final só sairá em abril. Enquanto, isso ele segue sem jogar.

O presidente, no entanto, condicionou sua volta a um pedido de desculpas. “Ele vai ter que pedir desculpas para o elenco. O ser humano tem que ser perdoado”, disse o mandatário em entrevista durante um evento na Federação Paulista de Futebol.

Zeca não gostou das declarações do presidente e usou as redes sociais para rebatê-lo e ainda usar de ironia, lembrando a agressão que sofreu e afirmando que sua família sofreu ameaças. “Eu apanho na cara em aeroporto, minha mãe é ameaçada, salários atrasados e eu tenho que pedir desculpas?”, esbravejou o jogador em uma postagem, que posteriormente foi apagada.

As ameaças a sua mãe é algo que ainda não tinha vindo a público. Desde que entrou na Justiça o jogador tem dado poucas entrevistas e, nas raras vezes que se pronunciou, nunca havia citado esse fato.

Apesar de a mensagem ter sido apagada, o assunto gerou repercussão e, por conta disso, o Santos convocou uma entrevista coletiva para a tarde desta sexta-feira (9), em São Paulo.

O caso

A briga judicial entre Zeca e o Santos começou ainda em novembro do ano passado, quando ele teria sido agredido por torcedores no desembarque da delegação que voltava de Recife (PE) após empate em 1 a 1 contra o Sport. Dias depois, alegando atrasos no depósito de seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), o jogador entrou na Justiça.

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) concedeu uma liminar que lhe dava o direito de assinar com outro clube e ele chegou a ter conversas com Flamengo e Girona, da Espanha. No entanto, o temor de perder o jogador após uma decisão final – ou ter que arcar com os 50 milhões de reais, valor da multa rescisória imposta pelo Peixe – fizeram os times recuarem nas negociações.

Aproveitando-se do interesse do Flamengo pelo jogador, recentemente surgiu a especulação que ele poderia ser envolvido em uma troca com jogadores do time carioca, mas as conversas não evoluíram.