Durante as gestões de Arnaldo Santiago e Roberto Horcades, Alcides Antunes era o vice-presidente de futebol do Fluminense [VIDEO] e viu o Tricolor conquistar um títulos de Campeonato Carioca (1995), um Campeonato Brasileiro (2010), além de ser finalista da Taça Libertadores da América de 2008 e da Copa Sul-Americana de 2009. Dispensado no primeiro semestre de 2011, quando Peter Siemsen assumiu a presidência do clube, o ex-dirigente se tornou um dos principais opositores da Flusócio, grupo o qual faz parte o antigo mandatário e o seu imediato sucessor, Pedro Abad.

Inconformado com o mau momento que atravessa a equipe das Laranjeiras, Alcides, em entrevista concedida à Rádio Tupi no último sábado, descartou o uso da violência, mas prometeu que iria, junto com os seus parceiros, recolocar o Fluminense no caminho das vitórias.

"Estou no futebol por causa do Fluminense. Colaborei desde o fim da década de 1980 até 2012. Não vai demorar, mas vamos resgatar o Fluminense. Podem saber e se preocupar. Não vai ser com violência, mas na mão grande não vão levar o Fluminense da gente não", declarou Antunes, acrescentando.

"Já teve um problema lá na reunião, mas foi só o começo. Terá meio e fim", finalizou.

De 2013 para cá, o Fluminense, [VIDEO] que, na temporada anterior, havia levantado o quinto Brasileirão de sua história, encerrou uma parceria de quase duas décadas com a empresa de saúde Unimed e passou de um dos favoritos ao posto de mero coadjuvante na maioria dos torneios aos quais disputa ou, em alguns casos, estar lutando contra o rebaixamento. A exceção foi a conquista da Primeira Liga de 2016, em decisão contra o Atlético-PR, na cidade de Juiz de Fora, região da Zona da Mata de Minas Gerais.

Naquela ocasião, Marcos Júnior garantiu a vitória de 1 a 0 do Tricolor.

No sábado, o Fluminense [VIDEO] deu mais um vexame para o seu torcedor. Apesar de vencer o Macaé por 1 a 0 no estádio de Los Larios, em Xerém, distrito do Grande Rio, a equipe do técnico Abel Braga acabou ficando de fora das semifinais da Taça Guanabara, graças à vitória pelo mesmo placar, do Boavista sobre a Portuguesa-RJ no Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador. Diante dessa eliminação, o Tricolor a princípio, só retornaria a campo na abertura da Taça Rio, terceira fase do Campeonato Carioca, encarando, no dia 21 de fevereiro, em Moça Bonita, o Bangu. Existe porém, a possibilidade de a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) marcar o duelo contra o Salgueiro-PE pela segunda fase da Copa do Brasil para a Quarta-Feira de Cinzas, no dia 14 de fevereiro.