A FIFA é desde 1989 a reguladora do Futsal e de tempos em tempos promove mudanças nas regras deste esporte, que passa desde o peso e o tamanho da bola, como também a maneira que os escanteios e laterais são batidos e também sobre o que os goleiros podem [VIDEO] ou não fazer. Nesta quarta-feira (14), a entidade anunciou quatro – polêmicas – mudanças, que passarão a vigorar na Europa no segundo semestre e no Brasil, provavelmente apenas em 2019. Elas foram aprovadas na assembleia realizada durante a Uefa Euro Futsal, na cidade de Liubliana, na Eslovênia.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Ainda nos temos do futebol de salão, tanto o escanteio, quanto o lateral [VIDEO], eram cobrados com as mãos. Na década de noventa, essas reposições passaram a ser feitas com o pé e agora, seguindo a nova regulamentação, o cobrador terá a opção de cobrar de uma maneira ou de outra.

Ou seja, agora o arremesso é valido tanto com as mãos quanto com o pé. A FIFA justifica essa mudança, argumentando que isso aumentará o número de gols nas partidas.

Outra mudança é com relação ao goleiro, que não mais poderá lançar a bola diretamente para o ataque. Era comum o goleiro lançar a bola na outra área para que um jogador dividisse a bola com o goleiro adversário e tentar o gol de cabeça. Agora a bola lançada pelo goleiro obrigatoriamente terá que tocar na quadra de defesa. Isso era já uma regra praticada no futebol de salão clássico. Essa alteração na regra também deverá acabar com os gols de cobertura marcados por goleiros, que recuperavam a bola enquanto que a equipe adversária estava com sua meta desguarnecida por estar utilizado goleiro-linha.

Aliás, o goleiro-linha também terá alteração.

Essa tática só poderá ser usada quando um time estiver perdendo a partida. Esse foi um dos pontos que gerou muitas dúvidas, uma vez que em torneios com fases eliminatórias, com jogos de ida e volta, um time pode estar empatando uma partida, porém depende de uma vitória para se classificar. Por fim, nas disputadas de penalidades, voltam a ser cinco cobranças e não mais três, como vinha sendo nos últimos anos.

Essas mudanças provocaram inúmeras discussões em redes sociais. Muitos consideram, principalmente na questão do lateral e escanteio, um retrocesso, enquanto que outros ainda demostraram muitas dúvidas com relação ao goleiro-linha.

O Brasil esteve representado na reunião pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS), Marcos Madeira, que se posicionou contra apenas à mudança nas cobranças de lateral e escanteio.