Palmeiras e Linense se enfrentaram no Allianz Parque nesta quinta-feira pelo Campeonato Paulista. O Verdão saiu na frente logo no começo com belo gol de Miguel Borja. O Linense empatou. Borja, novamente, colocou o Palmeiras na frente, mas o empate chegou perto do final da partida. A igualdade no placar tirou os 100% do Verdão na competição, mas não inibiu a invencibilidade. Desde o começo do ano a torcida alviverde não sabe o que é perder e sofrer revés.

No final da partida, Roger Machado concedeu coletiva e elencou os problemas no jogo. Um deles - e principal - foi a recomposição defensiva. O Palmeiras subiu para o ataque, mas não soube voltar e se armar.

Thiago Martisn e Antônio Carlos mostraram suas fragilidades e algumas trocas podem ocorrer.

No elenco, Machado tem Juninho, Luan, Emerson Santos e Edu Dracena. O último passa por pré temporada maior e deve voltar no clássico contra o Corinthians, mas ainda não se sabe se será titular. Tudo vai depender dos treinos na Academia de Futebol.

No domingo, às 19h30, o Palmeiras viaja até Campinas onde enfrenta a Ponte Preta no Moisés Lucarelli. No outro final de semana encara o Corinthians em Itaquera, no segundo clássico do ano. Contra o Santos, o Verdão venceu por 2 a 1.

Mudança no uniforme

A Adidas fornece material esportivo para o Alviverde há 12 anos. A parceria de sucesso está próxima do fim [VIDEO]. Maurício Galiotte, presidente do clube, quer valores maiores da fornecedora, que não deseja seguir esse caminho.

Na mesa do presidente existem duas propostas: uma da brasileira Topper e outra da também alemã Puma.

A Puma está na frente. A empresa quer se restabelecer no futebol [VIDEO]brasileiro e ter o Palmeiras na conta é uma ideia muito positiva. Os torcedores alviverdes consomem muitos artigos, fazendo as receitas crescerem. Além disso, a empresa é bastante elogiada pelos palmeirenses nas redes sociais por conta da beleza dos uniformes que faz.

A Topper corre por fora, mas também é uma grande possibilidade. A empresa já teve conversas com a diretoria e atualmente fornece para Atlético Mineiro, Botafogo-RJ e Paraná. Fazer uniformes para a exigente torcida palestrina é um dos grandes incentivos para a parceria dar certo.

Independente de quem fechar, o Palmeiras quer uma parcela maior na venda dos artigos. Atualmente a adidas não paga o que o Verdão quer e, por isso, a renovação está cada vez mais distante. A empresa alemã ofereceu mais materiais, mas não agradou.