Depois de o presidente José Carlos Peres ameaçar romper o acordo assinado pelo seu antecessor e assim garantir um valor maior na negociação, o Santos poderá receber ainda mais dinheiro [VIDEO]da Umbro, que nos próximos meses voltará a confeccionar os uniformes do clube. E agora surgiu a informação sobre uma nova cláusula que poderá fazer o time lucrar ainda mais a partir do ano que vem. O contrato com a fornecedora inglesa vai até 2020.

A ameaça de rompimento surtiu efeito e o Santos [VIDEO] conseguiu aumentar o valor dos royalties em 50% e o número de peças de enxoval em 20%, passando a receber 35 mil peças, que serão distribuídas entre os times profissionais, feminino e de base.

O valor total do acordo gira e torno de 10 milhões de reais por temporada.

No entanto, um ponto do acordo que tem agradado aos dirigentes é uma cláusula que diz que a partir do ano que vem, se outra marca oferecer valor superior e a Umbro decidir por não cobrir a oferta, o Santos poderá trocar de fornecedor.

Todo esse impasse envolvendo o novo acordo atrasou a confecção dos novos uniformes. Havia a expectativa que o novo jogo de camisa fosse apresentado já na partida de estreia da Copa Libertadores da América, marcada para o dia 1º de março, contra o Real Garcilaso, no Peru, porém isso não irá acontecer. Enquanto isso, o time seguirá usando o fardamento da Kappa.A Umbro já tinha vestido o Santos entre 1997 e 2011, período quem que o Peixe ganhou uma Libertadores, dois Campeonatos Brasileiros e uma Copa do Brasil.

Vai para o jogo

Com a aproximação da estreia na fase de grupos da Copa Libertadores da América, a tendência é que muitos times já passem a poupar alguns jogadores, ou até mesmo o time completo, já neste final de semana. Pelo menos este não é o caso do Santos, cujo técnico Jair Ventura confirmou a presença de Gabriel na partida do próximo (25), contra o Santo André, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista.

A expectativa que ele ficasse de fora da partida também foi criada em razão dele já ter dois cartões amarelos e caso seja advertido no duelo contra o Ramalhão, ficará de fora do clássico do outro final de semana, contra o Corinthians, no Pacaembu, mas com mando de campo santista. “Não vejo como peso. Se tiver que tomar cartão, eu vou tomar e há grandes jogadores na posição”, disse o jogador.

“O próximo jogo é sempre o mais importante”, justificou o técnico Jair Ventura. “Penso sempre na próxima partida, a não ser que haja alguma situação de lesão, alguém prestes a estourar”, completou o treinador.