Ter uma das maiores e mais modernas arenas do Futebol sul-americano, tendo recorde de público a arrecadações que dificilmente baixam a casa de 1 milhão de reais líquido, não tem garantido o Palmeiras [VIDEO] de se livrar de alguns problemas, principalmente com alguns torcedores mais exigentes e fará com que os advogados do clube tenham um serviço extra nas próximas semanas. E o motivo é bastante inusitado.

De acordo com uma reportagem publicada pelo canal esportivo ESPN Brasil, três torcedores do Palmeiras entraram com um processo contra o próprio clube do coração, a WTorre, administradora do Allianz Parque, e a Confederação Brasileira de Futebol [VIDEO] (CBF).

O motivo de entrarem na Justiça? Eles reclamaram de terem se molhado no duelo contra o Santos, em novembro do ano passado, pelo Campeonato Brasileiro.

Choveu durante o todo o dia daquele jogo e os torcedores reclamam que havia um escoamento de água em suas cadeiras, o que lhes impediu de aproveitar a partida, vencida pelo Peixe por 1 a 0. A advogada que representa o trio de torcedores classificou o episódio como desastrosa. “É lamentável que um estádio em que foram empregados milhões (...) entregue aos seus consumidores uma prestação de serviço tão desastrosa”, disse.

Na ação, os torcedores pedem a devolução do valor do ingresso, que custou 400 reais, além de uma indenização de 20 ml reais para cada um deles por danos morais. O caso corre na Vara Cível do Fórum Central da Comarca de São Paulo.

A ESPN procurou os réus do processo. A CBF respondeu que não comenta questões que estão judicializadas, mesma resposta dada pelo Palmeiras. Já a WTorre não deu retorno aos questionamentos da reportagem.

Espaço VIP

Alheia aos problemas judiciais, o Allianz Parque pode em breve ter um novo espaço e mais nobre dos já existentes. A empresa que administra a arena estuda a criação de 300 poltronas especiais para o torcedor. No espaço, além de poder acompanhar a partida, serão oferecidos outros serviços, como de música ao vivo, acesso exclusivo, sistema de transporte de determinados pontos da cidade.

Ainda existem discussões para saber onde esse novo espaço será instalado, mas é provável que ele fique entre os setores Leste, Oeste e Norte. Cada cadeira será vendida por 25 mil reais para um período de 10 anos, além do torcedor dono do espaço pagar no dia de jogo o ingresso mais barato disponível.

Com 100% de aproveitamento dentro do Campeonato Paulista, o Verdão volta a jogar no próximo sábado (10), quando irá até o interior de São Paulo encarar o Mirassol.