A nova diretoria do Santos [VIDEO], encabeçada pelo presidente José Carlos Peres, tem como um de seus objetivos a reaproximação de Neymar com o clube. Para isso, nesta semana, o vice-presidente Orlando Rollo viajou para a Europa com a missão, dentre algumas outras, de conversar com o jogador. No entanto, a tarefa que lhe foi designada não parece que será tão fácil.

Os pais do jogador [VIDEO]fizeram o caminho inverso e estão no Brasil e também não há qualquer reunião agendada na França. Neymar também foi orientado a não ter qualquer tipo de conversa com os santistas sem a presença do pai ou representantes. Com isso, a não ser que busque alguma ousada alternativa, a viajem para a capital francesa corre o risco de virar um mero turismo.

A ideia da nova diretoria é buscar uma reaproximação com o atacante e, para isso, está disposta a acabar com qualquer ação na Justiça. Na gestão de Modesto Roma Júnior, o clube chegou a mover uma ação contra o jogador por conta da polêmica negociação com o Barcelona em 2013.

Coincidência ou não, o jogador chegou a ter uma aproximação com o Palmeiras e admitiu que torcia para o rival na infância. Frequentemente circula na internet uma foto de Neymar, ainda bem garoto, com a camisa palmeirense.

As tentativas de reaproximação até já começaram, com o Santos fazendo algumas homenagens ao jogador nas redes sociais, mas elas foram ignoradas até agora pelo camisa 10 do PSG.

Vai oferecer cargo

No Brasil, o presidente José Carlos Peres nesta semana teve que apagar seu primeiro incêndio na diretoria por conta da polêmica demissão diretor-executivo de Futebol Gustavo Vieira de Oliveira.

Para seu lugar, a direção estuda promover William Machado, que até então vem ocupando o cargo de diretor de Futebol.

Ele chegou ao Santos no último dia 9 de janeiro e seu trabalho sem sido bem avaliado pelo presidente Peres. Nesta quinta-feira (22), o presidente santista falou pela primeira vez sobre a demissão de Gustavo.

Em uma carta dirigida ao jornalista Juca Kfuri, que em seu blog havia dito que Peres era um presidente que não preside. O mandatário não quis aumentar ainda mais a polêmica. Ele se resumiu a dizer que Gustavo havia sido contratado para desenvolver funções específicas dentro do clube e, diante da metodologia de seu trabalho, o clube optou por mudar de profissional.

Sobre o orçamento do clube, o qual Gustavo se queixou de não ter conhecimento, Peres afirmou que ele ainda passa por ajustes e que primeiro busca receitas antes de sair gastando, o contrário do que é, segundo ele, habitual no Brasil.