Depois da disputa pelo título, a briga pela artilharia é a que mais chama a atenção da mídia e torcida. E na reta final do Paulistão 2018 é possível distinguir claramente os dois jogadores que vão disputar a condição de maior goleador da competição: Borja, do Palmeiras, e Gabriel, do Santos. Por defender um clube pequeno, Bruno Moraes, do Botafogo, corre por fora, apesar de entrar na fase decisiva da competição com um gol a mais que Gabigol.

Inclusive esses dois concorrentes estarão frente a frente em um dos confrontos das quartas-de-final do torneio.

A conquista da artilharia representaria para Palmeiras e Santos a volta de um dos dois clubes (ou até mesmo de ambos) ao topo da tabela de goleadores depois de alguns anos de ausência. O time do Parque Antártica não faz o artilheiro do Paulistão desde 2014, quando Alan Kardec foi o jogador que mais balançou as redes dos adversários na competição, mas dividiu o posto com Luís Fabiano (São Paulo), Léo Costa (Rio Claro) e Cícero (Santos), todos com nove gols.

Já o Santos conquistou a artilharia da competição pela última vez em 2015, com Ricardo Oliveira, que terminou a competição com 11 gols, à frente de todos os outros concorrentes.

Borja

Borja entra na fase decisiva na ponta da tabela de artilheiros com seis gols. O atacante jogou nove das 12 partidas da primeira fase do Campeonato Paulista, e tem média de 0,75 gol por jogo, ou três gols a cada quatro jogos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Palmeiras

Além da boa média de gols, Borja tem como arma a eficiência em jogos importantes. Dos três clássicos da primeira fase, marcou gols em dois: nas vitórias de 2 a 1 sobre o Santos e de 2 a 0 sobre o São Paulo. No único clássico que Borja passou em branco, o Palmeiras perdeu: derrota para o Corinthians por 2 a 0.

O palmeirense, sempre muito criticado pela torcida, tem toda a confiança do técnico Roger Machado.

Mas o treinador já se prepara para ter uma dor de cabeça, não contar com o seu artilheiro em todos os jogos da fase decisiva. Borja deve ser convocado para a Seleção Colombiana para amistosos nos dias 23 (França) e 27 (Austrália), como parte da preparação da equipe para a Copa do Mundo, e deve fica fora do segundo jogo das quartas-de-final, contra o Novorizontino, e do primeiro jogo da semifinal, caso o Palmeiras confirme seu favoritismo frente à equipe do Interior.

Gabigol

Com dois gols a menos que Borja na tabela de artilheiros, e um a menos que Bruno Moraes, Gabigol divide o terceiro posto de goleador da competição com outros quatro jogadores, todos de times do interior. Desses, três estão na fase decisiva do campeonato: Alisson Safra e Juninho, do Novorizontino; e Matheus Peixoto, do Bragantino (adversário do Corinthians nas quartas-de-final). O que credencia Gabigol a ser considerado favorito à artilharia frente aos atacantes desses times do interior, além do fato de defender o Santos, é o seu retrospecto, muito mais positivo que o dos concorrentes.

Grande contratação do Santos para a temporada, Gabigol transformou o seu faro de gol nesse início de temporada em sua principal arma. O atacante fez gol em todos os jogos que disputou pelo Peixe no Campeonato Paulista. Foram quatro jogos e quatro gols. Um deles foi no único clássico que disputou, a vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo. Dos concorrentes, sem considerar o palmeirense Borja, a melhor média é do botafoguense Bruno Moraes, que fez cinco gols em nove jogos (média de 0,55 por jogo). Alex Safra, Juninho e Matheus Peixoto fizeram seus quatro gols em dez jogos (média de 0,4 por jogo). E sobre Borja, além do melhor desempenho, o santista também tem a vantagem de não ficar fora da fase decisiva do Paulistão para defender a seleção de seu País.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo