A polêmica transferência do lateral-esquerdo Zeca ainda segue rendendo muita polêmica e acirrou ainda mais a rivalidade entre Corinthians e Santos. O jogador, que busca sua liberação do Peixe na Justiça, teria assinado um acordo de quatro anos com a equipe do Parque São Jorge, fato que irritou o presidente santista, que afirmou não ter sido avisado da negociação e afirmou que o clube que contratasse o jogador teria que arcar com sérias consequências. Nesta quarta-feira (14), a polêmica entre os alvinegros ficou um pouco mais apimentada, com os times trocando provocações nas redes sociais.

Tudo começou com uma postagem do Corinthians nas redes sociais.

A imagem mostra o desenho de um carro visto pela parte de trás, apenas com um motorista, passando em uma estrada com uma placa ao lado indicando “Parque Ecológico”, em clara referência ao local onde o Timão normalmente realiza seus treinamentos. A ilustração era acompanhada da legenda: “Plantão Corinthians informa: Sistema Anchieta-imigrantes tem fluxo bom no sentido da capital paulista”. O citado sistema é o que liga Santos a Capital Paulista e a postagem era uma clara cutucada ao rival sobre a ida de Zeca para o Parque São Jorge.

Menos de meia hora depois, foi a vez do Santos responder a provocação de forma não menos sarcásticas, alertando o perigo para o "motorista". “Atenção, motorista: deslocamentos na estrada sem os cuidados devidos podem causar prejuízos milionários”. O prejuízo ai citado é a multa rescisória que o Santos promete cobrar do clube que contratar o jogador, caso a decisão judicial, que sairá no próximo mês, lhe seja favorável.

Inicialmente, surgiu a informação que o clube brasileiro que contratasse o jogador teria que arcar – em caso de vitória do Santos na Justiça – 50 milhões de reais. No entanto, nesta terça-feira (13), o presidente José Carlos Peres, em entrevista ao canal ESPN Brasil, disse que o valor é três vezes maior.

O temor de ter que arcar com esse valor fez com que o Flamengo recuasse nas negociações, o mesmo aconteceu com o Girona, da Espanha. A direção do Corinthians disse que estar tranquila com relação a isso e que caso o rival saia vencedor nos tribunais, são os empresários do atleta que terão que arcar com os prejuízos.

Zeca não entra em campo desde novembro do ano passado, quando entrou em disputa judicial para deixar o clube. Na ocasião ele alegou atraso no deposito de seu Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS) e que o clube não lhe deu respaldo quando ele teria sido agredido por torcedores na chegada da delegação, após o confronto com o Sport Recife. O Santos afirmou que os pagamentos do atleta estavam em dia.