Palmeiras e Corinthians estão na final do Campeonato Paulista e fazia muitos anos que isso não acontecia. Há exatos 19 anos, Verdão e Timão jogaram a decisão do estadual pela última vez.

Naquela final de 1999, o Corinthians levou à melhor sobre o maior rival, que estava mais preocupado com a Copa Libertadores da América, do qual sagrou-se campeão três dias depois da primeira partida da decisão do Paulistão.

O Timão venceu o jogo de ida por 3 a 0 e, na volta, um empate por 2 a 2 deu o título ao time do Parque São Jorge [VIDEO]. Desde então, o Brasil e o mundo mudaram bastante podemos comprovar isso abaixo.

Como o Brasil mudou

À época da decisão do Paulistão de 1999, o presidente do Brasil era Fernando Henrique Cardoso, que começara o segundo mandato naquele ano.

No futebol, a seleção brasileira era treinada por Vanderlei Luxemburgo. A seleção ainda não era pentacampeã mundial de futebol e vivia a ressaca da derrota na final do Mundial do ano anterior [VIDEO].

Como todos sabem, o segundo jogo da decisão do Paulistão terminou em confusão depois que Edílson, do Corinthians, fez embaixadinhas na lateral do campo antes de o apito final.

A confusão culminou no corte de Edilson da seleção brasileira. Para o seu lugar, Luxa chamou o jovem Ronaldinho Gaúcho, que iniciaria sua caminhada pela seleção. Três anos depois, Ronaldinho e Edilson estiveram na Copa do Japão e da Coreia do Sul. Luxemburgo não.

Além da política, o futebol também era diferente. As duas finais foram disputadas no Estádio do Morumbi, já que o Corinthians não tinha estádio e o Palmeiras raramente mandava clássicos no antigo Palestra Itália.

Como o mundo mudou

O mundo também passou por uma grande mudança. O presidente dos Estados Unidos era Bill Clinton. As Torres Gêmeas ainda estavam de pé. O Euro, moeda comum na Europa, tinha sido criado havia apenas um ano.

Na Venezuela, Hugo Chávez iniciara a sua caminhada como presidente do país havia poucos meses, em fevereiro – as partidas da decisão do Paulistão de 1999 foram disputadas em junho. Naquele ano, havia um grande medo de que ocorresse o “bug do milênio”, na virada de 1999 para 2000 em todos os sistemas informatizados.

Na eleição de melhor jogador do mundo da Fifa daquele ano, o brasileiro Rivaldo superou o inglês David Beckham, o argentino Gabriel Batistuta e o francês Zinedine Zidane. O craque brasileiro Ronaldo Fenômeno ainda não havia sofrido as duas lesões que o tirou de campo por cerca de 20 meses, entre 1999 e 2001.