Assim que tomou posse, o presidente do Santos, José Carlos Peres [VIDEO] iniciou o cumprimento de uma de suas promessas de campanha, que era o pagamento de dívidas deixadas pela gestão anterior. De acordo com notícia publicada pelo portal o Lance!, somente em janeiro o clube pagou junto à Receita Federal 2 milhões de reais e outros 18 milhões neste mês, que se referem a impostos atrasados desde a metade do ano passado e esse montante maior é referente ao imposto de renda retido na fonte (IRRF).

O dinheiro usado para o pagamento da dívida foi referente ao valor de 20 milhões que o clube recebeu de luvas da Rede Globo por ter assinado um acordo para a transmissão de seus jogos em PPV e TV aberta entre 2019 e 2024.

A mesma reportagem revelou que o clube ainda tentou parcelar o valor, mas sem sucesso, e ainda correu o risco de ser retirado do PROFUT, que é um programa de refinanciamento de dívidas dos clubes junto ao governo.

Os atuais dirigentes acreditavam que poderiam parcelar o valor da dívida e assim não comprometer a verba recebida pela emissora de TV de forma antecipada, que serviu como um prêmio por conta da assinatura do acordo. A intenção era usar o dinheiro para a contração de reforços, uma vez que o elenco ainda carece de um meia, porém o empenho desse valor para saldar dívidas com a Receita praticamente minou essa possibilidade.

Lembrando que por conta de problemas financeiros, até mesmo a apresentação do técnico Jair Ventura [VIDEO] foi um pouco demorada, uma vez que a diretoria ainda buscava uma forma de pagar a multa rescisória junto ao Botafogo.

Reunião marcada

No próximo dia 26, haverá uma reunião do Conselho Deliberativo do clube e por contra dessas dívidas, o ex-presidente Modesto Roma Júnior corre o risco de sofrer sanções.

Em contato com a reportagem do Lance!, o ex-mandatário, que anteriormente havia negado a existência de dívidas, admitiu o problema e justificou dizendo que havia usado a verba disponível para saldar outros débitos, como salários e também o acordo com a Doyen Sports, fundo de investimento responsável por trazer o atacante Leandro Damião, que ainda tem vínculo com o Peixe, mas está emprestado ao Internacional. “Priorizei as dívidas mais baratas e outras situações”, revelou.

Ele também se defendeu alegando que pagou muito mais que 18 milhões de reais em dívidas deixadas por seu antecessor e que nunca havia se queixado disso. “Dívidas todo mundo tem. Acho que está na hora de parar de reclamar e trabalhar”, disse.