Uma das principais dores de cabeça do técnico Jair Ventura [VIDEO] em seu início de trabalho no Santos era com relação à lateral esquerda. O treinador começou a temporada escalando Romário, que havia sido o primeiro reforço da equipe na posição, mas bastaram apenas dois jogos para ele ser sacado do time titular para dar lugar a Caju, que também não agradou.

Depois de improvisar Copete nos minutos finais de algumas partidas, o técnico decidiu improvisar Jean Mota na posição. Até então, ele vem desempenhando bem o papel, mas o time está bem próximo de ter novamente um jogador de ofício atuando na posição.

Para solucionar o problema, a diretoria foi buscar na Itália o lateral-esquerdo Dodô, que veio por empréstimo de um ano junto à Sampdoria.

No entanto, o jogador não faz uma partida oficial há nove meses. O que a princípio poderia ser motivo de preocupação para a comissão técnica e seus torcedores, não deve ser um grande problema pelo que o jogador vem demostrando nos treinos.

Na segunda-feira (26), quando parte do elenco participou de uma atividade no CT Rei Pelé, o lateral mostrou que está com bom ritmo de jogo e ainda anotou três gols. Mesmo assim, o torcedor terá que esperar um pouco mais para vê-lo em ação. O técnico Jair Ventura deverá relacioná-lo apenas no jogo do dia 7, contra o Grêmio Novorizontino, pela 11º rodada do Campeonato Paulista.

No entanto, dependendo de sua evolução nos treinos e também de acordo com desgaste que o elenco sofrer no Peru, no jogo da Copa Libertadores da América, não será surpresa se ele aparecer no clássico do próximo domingo (4), contra o Corinthians, no Estádio do Pacaembu [VIDEO].

Bom resultado

Mesmo sem ainda entrar em campo, o Santos já obteve seu primeiro bom resultado na Copa Libertadores da América. Isso porque no jogo que abriu as disputas do grupo 6, Nacional e Estudiantes – dois fortíssimos candidatos à classificação -, empataram sem gols no Uruguai e já desperdiçaram pontos preciosos pelo caminho.

Assim, uma simples vitória contra o Real Garcilaso, nesta quinta-feira (1º), em Cuzco, no Peru, deixará o Peixe na liderança isolada da chave. No entanto, o jogo promete não ser nada fácil.

Além de encarar o adversário, o time jogará a uma altitude de 3.400 metros. O Peixe também corre o risco de não poder contar com o centroavante Gabriel, que sofreu uma pancada na perna na partida diante do Santo André e, por conta disso, não participou do último treino, já em solo peruano, ficando no hotel para fazer tratamento intensivo.