A torcida flamenguista foi, de fato, punida na noite desta quarta-feira, dia 28 de fevereiro, em que o time do Flamengo enfrentou o River Plate, pela Copa Libertadores da América. O time entrou em campo pressionado, pois no ano passado sequer passou da fase de grupos.

Neste ano o Flamengo caiu em grupo muito forte, que conta com River Plaite, Emelec, e Santa Fé. O primeiro é um time muito tradicional na América do Sul, sendo, muitas vezes, campeão desta mesma competição. O segundo tem tradição de vencer e eliminar o Flamengo nas competições em que se enfrentam. O terceiro é um dos melhores times da Colômbia.

A medida foi tomada pela Conmebol, após a final da Copa Sul-Americana.

No dia do jogo oito mil pessoas fantasiadas de torcedores do Flamengo invadiram o Maracanã e fizeram uma guerra nos arredores do estádio.

O 12º jogador sempre faz falta

Com todo o ocorrido, o estádio Nilton Santos, mais conhecido como Engenhão, onde aconteceu o jogo, estava vazio e sem graça nesta quarta-feira. A maior atração do futebol não se fez presente no estádio. No caso do Flamengo [VIDEO]a torcida é chamada de décimo segundo jogador, dada a sua intensa participação durante as partidas do time. O clube inclusive aposentou a camisa doze do time em homenagem a torcida rubro-negra.

Esta mesma torcida não pode estar no estádio para ver no primeiro tempo um jogo muito faltoso e truncado dos dois lados. Assim como não poderem pressionar o arbitro peruano, Michael Espinoza, que não marcou pênalti a favor do Flamengo, quando o jogador do River colocou a mão na bola dentro da área, após a cobrança de falta de Paquetá e cabeçada de Rever.

Também não puderam fazer o estádio tremer quando Enrique Dourado fez o primeiro gol do jogo, de pênalti. O segundo gol do Flamengo, feito pelo Everton. E por fim os dois gols do River Plate, empatando o jogo.

Na televisão [VIDEO] a emissora brasileira que detém os direitos de transmissão da competição, apresentou o jogo, e o que se viu, além do futebol jogado, foi um vazio nas arquibancadas que tirou muito da beleza do espetáculo.

O estádio vazio não desagradou apenas o time carioca, mas também ao time argentino. Em entrevista a mesma emissora que transmitiu o jogo, o técnico do River Plate, Marcelo Gallardo, também manifestou seu descontentamento, dizendo que: “o jogo fica meio frio”.

Mas realmente quem tem muito a se lamentar é a verdadeira torcida flamenguista que não viu seu time empatar. Não pôde se reunir para cantar as lendárias músicas que já motivaram Zico, Junior, Leandro, Adriano Imperador, Petkovic etc., e não deu o show que lhe é peculiar.

O Flamengo volta a campo pela Copa Libertadores, no dia 14 de março contra o Emelec em Equador.