O Santos fará [VIDEO], na próxima quinta-feira (15), mais um jogo como mandante no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Depois de jogar duas partidas lá contra Ituano e também contra o Corinthians, o Peixe agora fará seu primeiro jogo válido pela Copa Libertadores da América no tradicional estádio paulistano, quando recebe o Nacional, às 19h15, pela segunda rodada da fase de grupos. Manter pelo menos a metade de seus jogos no local foi uma promessa de campanha da atual diretoria, encabeçada por José Carlos Peres, que vem sendo cumprida e a torcida tem abraçado a ideia.

Depois de um ótimo público no clássico alvinegro, quando levou quase 35 mil torcedores, a expectativa é que a torcida compareça novamente em peso para este compromisso válido pelo torneio sul-americano.

De acordo com um balanço divulgado pelo próprio clube, até a noite desta segunda-feira (12), quase dez mil ingressos já haviam sido vendidos. O montante já é quase o mesmo da partida diante do Ituano, pelo Campeonato Paulista, quando estádio recebeu 11.513 pagantes.

Questionado sobre o que pensa dessa alternância entre Vila Belmiro e Pacaembu, o técnico Jair Ventura foi taxativo [VIDEO] ao dizer que o Peixe é forte em ambos os campos. “O Santos tem privilégio de ter duas. Compartilho desse privilégio. O Santos será forte nas duas casas”, disse.

Alçapão paulistano?

Não é incomum o Santos atuar no estádio do Pacaembu pela Copa Libertadores da América. Aliás, foi lá que o Peixe conquistou seu terceiro e último título em 2011, quando superou o Penãrol na decisão pelo placar de 2 a 1. Antes daquela decisão, a equipe havia feito outras sete partidas no local e jamais foi derrotada.

O primeiro jogo válido por Libertadores no Pacaembu foi em 1963, quando o time empatou em 1 a 1 com o Botafogo. Em 1965 foram três partidas e três vitórias no local: 1 a 0 em cima da Universidad de Chile, 2 a 1 no Universitário do Peru e 5 a 4 sobre o Peñarol.

O Santos só voltaria a jogar no Pacaembu na campanha do título de 2011, quando antes da final havia feito outros três jogos por lá. Com vitória por 3 a 1 sobre o Deportivo Táchira da Venezuela, empate em 1 a 1 com o Once Caldas da Colômbia e vitória sobre os paraguaios do Cerro Porteño pela contagem mínima. No ano seguinte a conquista o título, o Peixe voltou ao estádio em outras duas oportunidades. Na vitória por 1 a 0 contra o Juan Aurich do Peru e no empate em 1 a 1 diante do Corinthians, já pelas semifinais.

A última vez que jogou no Pacaembu pela Libertadores foi na edição do ano passado, quando em duelo ainda válido pela primeira fase, derrotou por 3 a 1 o Santa Fé da Colômbia.