A diretoria do Corinthians passou os primeiros quatro meses da temporada atrás de um camisa 9. A missão não era fácil, pois tinha que ser barato, bom tecnicamente e que se encaixasse no esquema tático do técnico Fábio Carille. Após muitas especulações e testes que não deram certo, finalmente Roger foi contrato e anunciado.

Enquanto Carille vem montando um time que possa mostrar um bom Futebol sem o homem referência dentro da área, Jô está amargando a lanterna do Campeonato Japonês.

Publicidade
Publicidade

A equipe em joga, Nagoya Grampus, é bem inferior tecnicamente se comparado com os seus demais.

Por isso, foi apenas uma vitória, um empate e sete derrotas nos últimos nove jogos disputados. Em 12 partidas, o atacante conseguiu anotar quatro gols. Como está precisando vencer com urgência, o treinador resolveu deixá-lo no banco de reservas nos últimos jogos.

Caso venha a ser rebaixado, a equipe japonesa verá os seus lucros caírem, o que pode dificultar o pagamento do grande salário que Jô recebe.

Publicidade

Com isso, muitos começam a sonhar em um retorno antes do esperado de Jô ao Parque São Jorge.

Pelo atacante, os japoneses bancaram incríveis US$ 10 milhões (R$ 34,7 milhões). Esse valor foi muito bem recebido pelo Alvinegro paulista, principalmente porque ele chegou sem custos uma temporada antes.

Jô foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro 2017, com 18 gols marcados. A grande fase na Arena fez que o seu nome voltasse a ser pedido para a disputa da Copa do Mundo na Rússia.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Corinthians

Porém, com a ida para o Japão, onde há pouco visibilidade, as chances ficaram quase nulas.

Em sua despedida do Timão, o centroavante deixou claro que era um ‘’até breve’’, alimentando o sonho dos corintianos de um eventual retorno. “Minha história no Corinthians não começou em 2016, começou lá atrás, várias pessoas, o presidente. Tenho de agradecer a todos, se eu tiver de lembrar de todo mundo, é uma po*** de nomes. Só agradeço a Deus por ter me dado essa oportunidade num momento tão difícil da carreira.

É um até breve. Foi tudo um pouco rápido, talvez alguns imaginassem que seria mais longo. Mas o futebol é assim, dinâmico. É um até breve”, afirmou.

O técnico Fábio Carille conta com um elenco sem tantas opções para uma temporada com muitos jogos a serem disputados. Nesta semana, por exemplo, ele perdeu Ralf e Renê Junior, ambos por lesão, que só retornarão a defender o clube após a Copa do Mundo. Roger, visto com o novo camisa 9, deve fazer sua estreia no próximo domingo, dia 29, contra o Atlético Mineiro.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo