Uma das mais badaladas contratações do Santos na temporada passada – foi contratado por 7 milhões de euros (29,4 milhões de reais) -, não engrenou na Vila Belmiro. Depois de não entrar em campo um minuto sequer neste ano, o zagueiro [VIDEO] Cléber Reis voltou a ser emprestado, agora para o Paraná Clube, time que está tendo um péssimo inicio de Campeonato Brasileiro, com duas derrotas em dois jogos, cinco gols sofridos e nenhum marcado.

No ano passado, também tendo poucas oportunidades no time, foi emprestado ao Coritiba, que acabou rebaixado. Mesmo assim, ele voltou para o alvinegro em alta, chegando até mesmo a recusar uma proposta para jogar no Vasco por conta da promessa de Jair Ventura de que seria aproveitado [VIDEO], o que não aconteceu.

Falando aos canais por assinatura Esporte Interativo, em entrevista ao jornalista Alexandre Praetzel, o jogador quebrou o silêncio e fez um forte desabafo contra as decisões da diretoria e também da comissão técnica. Segundo ele, os treinadores que são contratados já chegam ao clube sabendo que têm que usar os atletas revelados pelas categorias de base e que chegou ao time não para jogar, e sim para somar ao elenco.

O defensor disse ainda que espera fazer um bom trabalho no Paraná Clube, que acabou de retornar à primeira divisão do Campeonato Brasileiro, para que as portas voltem a se abrir. O atleta foi o segundo jogador mais caro do Santos contratado em 2017, ficando somente atrás do atacante Bruno Henrique.

Ele aponta o fato de ter vindo do futebol europeu como um dos motivos por ter tido pouco espaço no grupo e que até brigou com o Hamburgo, seu antigo clube, para poder retornar ao Brasil.

Ele chegou à Vila Belmiro, na época em que o técnico Dorival Júnior ainda estava por lá, com a promessa de que seria utilizado de imediato, mas teve apenas uma única chance.

“Me julgaram pelas poucas chances que eu tive. As pessoas acham que a gente vem (da Europa) com estátua de rei”, disse o jogador antes de disparar: “Para jogar na Vila, tem que ser rei, né.”

Durante toda a temporada passada, antes de ser emprestado para o Coxa, ele jogou apenas dez partidas com a camisa alvinegra. Já no Paraná Clube, o zagueiro ainda não teve a oportunidade de fazer sua estreia, ficando no banco de reservas nas derrotas para São Paulo e Corinthians, também não tendo jogado um minuto sequer.

Lanterna do Campeonato Brasileiro, o Paraná volta a jogar no próximo domingo (29), novamente na Vila Capanema, diante do Sport, em jogo de vital importância para as pretensões do Tricolor na Série A. Na derrota para o Alvinegro, o técnico Rogério Micali, que está fortemente cotado a abrir a dança dos técnicos no Brasileirão, lamentou o resultado elástico sofrido em casa, ainda mais com as arquibancadas completamente lotadas.

Para ele, o jogo foi equilibrado, mas os dois gols sofridos, praticamente em lances seguidos, acabaram por derrubar sua equipe. "Saímos com um sentimento ruim. Não podemos expressar algo melhor", disse.