No dia em que completou 106 anos de fundação, o Santos deu um grande presente para sua torcida, ao derrotar o Ceará por 2 a 0, no estádio do Pacaembu, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Além dos três pontos na tabela, o triunfo também serviu para quebrar um tabu que já durava 13 anos [VIDEO]. Desde 2005, quando bateu o São Caetano por 4 a 1, no estádio Anacleto Campanella, que o Peixe não estreia no Brasileirão com vitória. Nas últimas dez estreias foram três derrotas e sete empates.

Como o próximo compromisso do time será apenas no próximo sábado (21), contra o Bahia, em Salvador, o técnico Jair Ventura terá uma semana toda para trabalhar e também recuperar alguns jogadores, enquanto que a diretoria seguirá negociando a renovação de contato com importantes jogadores.

Um desses jogadores a ter seu vínculo com o Peixe estendido é o volante Léo Cittadini, que vem sendo uma das peças mais importantes de Jair Ventura na atual temporada. O jovem jogador atingiu um grau de importância tão grande, que acabou mandando o experiente Renato, que tem 400 jogos com a camisa do clube, para o banco de reservas. Foi o próprio jogador quem revelou as conversas [VIDEO] com a diretoria, após o duelo diante do Ceará.

“Já iniciamos uma conversa, isso é o tipo de coisa que deixo totalmente para o meu empresário”, disse o jogador de 24 anos, afirmando ainda que está totalmente focado no time do Santos. Segundo ele, restam apenas alguns detalhes para finalizar o acerto e, por se tratar de algo desgastante, procura saber das coisas só no final e que sua vontade é seguir no clube.

Seu atual contrato com o alvinegro termina no final deste ano.

Espera ter sequência de jogos

Questões contratuais à parte, Léo Cittadini agora busca ganhar uma nova sequencia no time titular depois de ter ficado duas semanas afastado dos gramados por estar se recuperando de uma lesão na coxa esquerda. Durante todo o ano passado, ele havia feito apenas 15 jogos, bem diferente da temporada atual, onde já jogou mais, isso muito em função da chegada do técnico Jair Ventura. “O Jair chegou, deu uma reformulação no elenco, me deu confiança para jogar”, explicou o volante. “A participação dele é fundamental para meu crescimento”, completou.

Com relação a ter que disputar posição com o experiente Renato, o qual considera um ídolo dentro e fora de campo, o jogador avalia que isso é algo sadio e quem tem a ganhar é o time. “É um exemplo para mim, como para todos do elenco”, disse.